Salmo 150 – Hino de louvor ao nosso Deus

Coro27Louvai o Senhor no Seu templo sagrado,

louvai-O no Seu augusto firmamento,

louvai-O com o vosso louvor variado,

louvai-O a toda a hora e momento!

.

Louvai-O pelas Suas obras de grandeza

e pela Sua infinita majestade,

louvai-O sempre, sem sombra de avareza,

louvai-O no Tempo e na Eternidade!

.

Louvai-O ao som de trombetas sonoras,

fazei vibrar as harpas e as guitarras,

louvai-O cada dia e a todas as horas,

soltai o louvor de todas as amarras!

.

Louvai-O, dançando ao som dos tambores,

louvai-O ao som das cítaras e flautas,

de todas as bocas se soltem louvores,

dos corações, música com ou sem pautas.

.

Louvai-O, tocando os címbalos sonoros,

ecoem no ar os seus sons retumbantes,

soltos como se foram suor dos poros

mudado em vapores de tons refrescantes.

.

Todo o ser que no universo respira

respire ao ritmo marcado do louvor,

pois é de Deus que sua respiração tira

para viver respirando o Seu Amor.

.

Ezequiel Miguel

Resposta a Enigmas bíblicos V – Um anjo dizima 185.000 soldados assírios

(Confira: 2 Reis, 32-37 // 2 Reis 19, 21-34)

SENAQUERIBA Bíblia apresenta-nos factos insofismáveis sobre o comportamento de Deus em relação aos homens e a estes não é dado saber por que motivo Deus age de uma maneira em detrimento de outra.

A Deus ninguém dá conselhos ou sugestões, ninguém Lhe diz o que fazer ou como fazer, porque Ele até diz que os nossos caminhos não são os Seus caminhos e os nossos pensamentos não são os Seus pensamentos. A Deus ninguém pode censurar, criticar, condenar, porque os Seus desígnios são impenetráveis à nossa inteligência.

Este episódio da matança de 185.000 soldados do exército babilónio já terá levado muitos leitores da Bíblia a questionarem-se se isso seria/será aceitável para as nossas mentes e modos de tentar ver o que não nos é dado ver. Também a resposta aos nossos porquês não vem, por muito que especulemos sobre os acontecimentos humanos que nós temos por negativos, trágicos, incompreensíveis. Quem sabe responder às perguntas: Porque é que Deus levou o meu filho, o meu marido, o meu bebé? Porque não evitou aquele acidente de avião,…etc. A Deus também não se fazem perguntas nem se pedem justificações.

O Salmo (102/103) diz que Deus é tolerante e compassivo, lento para a ira e que não nos castiga segundo os nossos pecados. Mas a Bíblia também apresenta casos em que Deus reage de imediato, mostrando a todos que com Ele não se brinca, como fez Senequarib, que meteu o Deus de Israel no mesmo saco dos deuses pagãos, desafiando temerariamente o Seu poder, num acto de evidente soberba que saiu caro ao seu exército e a ele próprio. O anjo que numa só noite feriu de morte os 185.000 soldados do rei assírio poderá ter sido o Arcanjo S. Miguel, chefe dos exércitos de Deus e cujo nome significa: “Força de Deus” / “Quem é como Deus? /, traduções da expressão latina: Quis ut Deus?

Quanto à pergunta: Poderá Deus ou o anjo ser acusado de assassínio em massa?

A minha resposta é: Não!

Por estes motivos:

1º .Como Israel era o povo de Deus, unidos em Aliança, o exército de Israel era o exército de Deus, constituído por homens, mas comandado por Deus, que delegava no Seu anjo para combater ao lado do exército israelita. Foi o que aconteceu, em resultado da provocação blasfema de Senequarib e da garantia que Deus dera ao rei Ezequias, de Israel, por meio do profeta Isaías, de que o rei babilónio não entraria em Jerusalém. Portanto, o Anjo actuou como guerreiro de Israel, fazendo sozinho o que somente um grande exército poderia fazer, mas com perda de muitas vidas israelitas.

2º. Deus é o Autor, o Criador e Senhor do ser humano e, como tal, tem todos os direitos sobre nós. Assim, tem o direito de nos dar a vida como, quando e onde Lhe apraz e de no-la tirar também como, onde e quando acha que é a hora. Também tem o direito de escolher como de quem nascemos. Logo, se Ele é o nosso Senhor absoluto, ninguém O pode condenar, porque Ele apenas retoma aquilo que Lhe saiu das Mãos, aquilo que é Seu, sem precisar de prestar contas a ninguém. Não nos consultou quando nascemos e também não nos consulta quando morremos: “Estai preparados, porque não sabeis o dia nem a hora”!

 .

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Enigmas bíblicos I – Nascimento de João Baptista

. Resposta a “Enigmas bíblicos I” – Nascimento de João Baptista

. Enigmas bíblicos II – Perda e encontro de Jesus no Templo

. Resposta a “Enigmas bíblicos II “– Perda e encontro de Jesus no Templo

. Enigmas bíblicos III-Moisés e a água do rochedo

. Resposta a “Enigmas bíblicos III”-Moisés e a água do rochedo

. Enigmas bíblicos IV – Moisés e a água do rochedo

. Resposta a “Enigmas bíblicos IV” – Moisés e a água do rochedo

. Enigmas bíblicos V – Um anjo dizima 185.000 soldados assírios

Abrirei a minha boca em parábolas ( Cf. Mt 13,24-43)

Do salmo 77/78: “Hei-de abrir a minha boca para dizer parábolas, proclamarei verdades ocultas desde a criação do mundo”

.

Jesus_pregando (1)Mais esta parábola Jesus lhes contou:

O Reino dos Céus poderá ser comparado

a um homem que boa semente semeou.

Entretanto, veio o inimigo, disfarçado,

que sementes de joio no campo lançou.

.

Quando o trigo, no devido tempo, cresceu,

dando o fruto que o semeador tanto esperava,

viu ele que o joio também apareceu.

Aos seus servos esse facto não escapava,

dispostos a arrancar o joio que ali nasceu.

.

Os servos foram ao seu senhor perguntar:

“Não semeaste no teu campo boa semente?

Que aconteceu, para este joio aqui medrar?

Arrancamos o joio imediatamente?”

“Não!” – disse o senhor – “Deixai a ceifa chegar!”

.

“Quando chegar a ceifa, direi aos ceifeiros:

“Apanhai e atai o joio, para o queimar,

recolhei, depois, o trigo nos meus celeiros,

onde o meu inimigo não vai penetrar,

apesar dos seus propósitos traiçoeiros!”

.

Os discípulos Dele se abeiraram de repente:

“Mestre, podes esta parábola explicar?”

Ele respondeu: “Quem semeia a boa semente

é o Filho do Homem, sou Eu, convosco a falar;

o campo é o mundo, de bom trigo carente .

.

Os filhos do Reino são a boa semente,

o joio, os filhos do Maligno, Satanás,

que o semeou quando o semeador ausente;

o campo é o mundo, onde o joio estragos faz,

os anjos, ceifeiros no Juízo final, certamente.

.

Após a ceifa, o joio no fogo cairá,

depois de se juntar em molhos, bem atado,

pelos Anjos que o Filho do Homem enviará.

No fim do mundo, o fogo aguarda o malvado,

que por toda a eternidade nele arderá .

 

Fora do Reino ficam os escandalosos,

aqueles que praticaram a iniquidade.

Na fornalha ardente cairão pressurosos,

para sempre suplicando em vão por piedade,

sendo, em pranto e ranger de dentes, desditosos.

.

“Então, os justos brilharão como o Sol, no Reino do seu Pai”

.

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Saiu o semeador a semear

 

 

 

 

 

 

Enigmas bíblicos V – Um anjo dizima 185.000 soldados assírios

(Confira: 2 Reis 19, 32-37 // 2 Reis 19, 21-34 )

Resumo do episódio bíblico:

SENAQUERIBO rei assírio, Senaquerib, com promessas, primeiro, com ameaças, depois, declarou guerra ao rei de Judá, Ezequias, visando conquistar o reino e integrá-lo no seu império babilónico. Confiado em que ao seu poderoso exército nenhum deus se poderia opor, nem mesmo o Deus de Israel, argumentava ele que os deuses dos povos conquistados não o tinham impedido de os conquistar pela força. Logo, o rei de Israel não deveria ter ilusões, pois o seu Deus nada faria em favor de Israel, tal como os outros deuses nada tinham feito.

Como não recebeu resposta positiva às exigências postas a Ezequias, de pagar mais impostos ou de se entregar sem combate, este pediu a intervenção do profetas Isaías, para que ele intercedesse junto de Deus a favor de Jerusalém e do povo de Israel. Pode ler todo o oráculo de Yahweh em 2 Reis 19, 21-34.

2 Reis 19,32-37 –Eis pois o que diz Yahweh sobre o rei da Assíria: Ele não entrará nesta cidade, nela não lançará flecha, não empunhará escudo contra ela nem acumulará contra ela os terraplenos. Por onde veio, ele voltará, não entrará nesta cidade, oráculo de Yahweh . Eu protegerei esta cidade (Jerusalém) e salvá-la-ei, pela minha honra e pela do meu servo David.

Nessa mesma noite, o anjo do Senhor saiu e feriu cento e oitenta e cinco mil homens no acampamento assírio. De manhã, ao despertar, só havia cadáveres. Senaquerib, rei da Assíria, levantou o acampamento e partiu. Voltou para Nínive e ali ficou….Certo dia, estando ele a adorar no templo de Nesroc, seu deus, seus filhos Adramalec e Sarasar mataram-no à espada e fugiram… Asaradon, seu filho, reinou em seu lugar” ( 2 Reis 19, 32-37)

Pergunta: Que explicação encontra para este morticínio executado pelo anjo? Deus, ou o Seu Anjo, poderão ser acusados de assassínios, de crueldade desnecessária e inexplicável?

Envie-nos a sua resposta! Mas, cuidado com afirmações atrevidas, blasfemas, desrespeitosas! Quando se trata de opinar sobre Deus e Seus desígnios o assunto é melindroso.

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Enigmas bíblicos I

. Resposta a “Enigmas bíblicos I”

.Enigmas bíblicos II

. Resposta a “Enigmas bíblicos II”

. Enigmas bíblicos III

. Resposta a Enigmas bíblicos III

. Enigmas bíblicos IV – As virgens loucas

. Resposta a “Enigmas bíblicos IV”- As virgens loucas

Saiu o semeador a semear

(Confira: Mt 13,1-23)

.

semearNaquele tempo Jesus de casa saiu

e à beira do mar se sentou para descansar;

tão grande era a multidão que a Ele afluiu

que Ele um barco escolheu para nele se sentar;

para o qual, depois, rapidamente subiu.

 

Enquan.to na margem a multidão ficava,

em parábolas muitas coisas lhe dizia:

“ Saiu um semeador a semear; quando semeava,

viu que alguma semente num caminho caía

e que ao apetite das aves não escapava.

.

Outras caíram em terrenos pedregosos,

onde terra suficiente não existia,

mas em breve surgiram rebentos viçosos

pois camada espessa de terra não se via,

enganando o semeador de olhos orgulhosos.

.

Mas, depois de o escaldante sol se ver,

os seus raios queimaram-nas e elas secaram,

por não terem raiz funda para as prender,

pois raiz funda em pouca terra não tomaram,

assim morrendo, sem condições para viver.

.

Outras, porém, foi entre espinhos que caíram,

mas, rápidos, os espinhos as afogaram;

outras, semeadas em boa terra se viram

e deram frutos que o semeador contentaram,

tantos quantos de uma planta eles se tiram.

.

De Jesus os discípulos se aproximaram:

“ Porque assim lhes falas?” – saber eles quiseram,

“a parábolas eles não se habituaram”!

As palavras de Jesus resposta lhes deram:

“Porque eles na minha escola ainda não andaram!”.

.

A vós é dado o reino dos Céus conhecer,

mas a eles isso ainda não lhes foi dado,

pois ao que tem mais se lhe há-de oferecer,

ao que pouco tem isso lhe será tirado,

porque, tendo olhos, não os usou para ver.

.

Por isso me ouvem em parábolas falar,

porque eles vêem sem ver e ouvem sem ouvir,

sem nada do que ouvem entender ou fixar!

Neles se cumpre o que Isaías quis transmitir:

“Vereis e ouvireis, para cegos e surdos continuar”.

.

O coração deste povo foi endurecendo,

ficaram de ouvidos surdos e olhos fechados

para não acontecer que, com os olhos vendo,

e ouvindo com os ouvidos bem tapados,

eles se vão pouco a pouco convertendo.

.

Eu explico a parábola do semeador!

Quando um homem a palavra do reino ouvir

sem a compreender, vem o maligno com furor,

rouba-lha do coração antes de emergir,

não chegando ele, caminho, a tomar-lhe o sabor.

.

Quem entre pedras a palavra recebeu

é aquele que a ouve e acolhe de momento,

mas , por inconstante, fraca raiz nele cresceu.

Ao chegar da dor ou da tribulação o vento,

logo perde o ânimo que a palavra lhe deu.

.

Quem entre os espinhos a semente aceitou

é aquele que a palavra do reino ouviu,

mas a sedução da riqueza a sufocou.

Também, com cuidados do mundo, se distraiu,

não dando o fruto que o semeador esperou.

.

Aquele em quem em boa terra a palavra entrou

é o que ouviu a palavra e a compreendeu,

dando fruto, pois no coração germinou.

Esse produz o que o coração desenvolveu;

no fim, cem, sessenta ou trinta por um juntou.

.

Ezequiel Miguel

Cumprirei as minhas promessas ao Senhor

Do salmo 116/117 : “Cumprirei as minhas promessas feitas ao Senhor”!

 .

CBFEste artigo ocorreu-me após a derrota do Brasil perante a Alemanha, no campeonato mundial de futebol de 2014, no Brasil, uma derrota por números julgados impossíveis.

Atendendo àquilo que eu sabia, por informação escrita, cuja origem já não posso identificar, tudo se prende com o último campeonato mundial que o Brasil ganhou, e que foi em 2002. A informação que tenho é esta que segue, não podendo eu garantir que (ainda) seja fiável. Mas é nesse pressuposto que escrevo, admitindo que as coisas já não estejam de acordo com essa informação.

O seleccionador (Felipe Scolari, o mesmo de agora) e os jogadores de então fizeram um promessa à Virgem Maria, que consistia no seguinte: “Se ganharmos o campeonato, iremos em peregrinação ao Santuário de Guadalupe, no México, para agradecer a Nossa Senhora.” Ora, aconteceu que o Brasil ganhou mesmo esse campeonato, dando uma grande alegria a todo o país e subindo os valores na escala do orgulho nacional. Essa promessa, porém, reza a informação que tenho, nunca foi cumprida e deve estar esquecida para sempre. Se assim for, de que poderão queixar-se a Federação, o seleccionador, os jogadores?

Bem vistas as coisas, a promessa pode estar já esquecida, mas esta derrota, que a imprensa desportiva do Brasil considera uma tragédia, uma catástrofe, uma derrocada estrondosa, uma derrota humilhante, uma vergonha, um desastre, um vexame, uma decepção, uma frustração, uma humilhação, um pesadelo, algo impensável, etc., ficará para sempre na lembrança do Brasil e de todo o mundo. E se mais palavras dormissem no dicionário para definir este triste evento, seria a hora de as acordar… Poderão atribuir culpas a toda a gente, incluindo à equipa adversária, árbitros, dirigentes, seleccionador, jogadores… e até às coisas como o calor, a humidade, a falta do melhor jogador, o dinheiro gasto com os estádios, a categoria do adversário, etc., mas nada anulará este fracasso desportivo que caiu como uma tremenda granizada sobre todos os habitantes do Brasil, do qual se falará por muitos anos. Algo impensável, mas não impossível. Mas também se compreende: Quanto mais alto se sobe, de mais alto se cai. É humano e natural! Mas as quedas também têm algo de positivo. E aí estamos de acordo com Felipe Scolari.

As promessas:

Quanto a promessas, o próprio Deus se amarrou às promessas feitas a Abraão e ao Povo de Israel, promessas essas que cumpriu sempre, derivando daí a constante referência, na Bíblia, à Sua Fidelidade inabalável. O que Deus promete, cumpre, exigindo o mesmo de nós, mesmo que a prática da fé esteja posta de lado.

Poderão dizer que esta coisa da promessa por cumprir e a derrocada desportiva terá sido pura coincidência, mas também nada impede de dizer e acreditar que não foi!… E o facto é que, desde a promessa, em 2002, o Brasil não ganhou mais nenhum campeonato. Não será melhor os adeptos brasileiros fazerem algo para que a promessa seja cumprida? É que uma promessa obriga, prende, amarra aquele que a faz, desde que não seja pecaminosa e desde que haja meios para se cumprir. Não se podendo, a Igreja Católica pode alterá-la ou substituí-la. Deus não nos obriga ao impossível, mas obriga que façamos o possível por cumprir o que Lhe prometemos. Para além de tudo, é uma questão de honestidade! Diz a Bíblia: “Cumprirei as minhas promessas feitas ao Senhor”! ( Salmo 116, 14)

Atendendo a estes considerandos, desde cedo me convenci que o Brasil não ganharia este campeonato, apesar do imenso clima de esperança, certeza e optimismo que, por um processo de desportiva alquimia, tudo transformou em catástrofe desportiva e nacional.

Há pessoas que não concordam com as promessas do estilo: “Toma lá a promessa, dá cá o que peço!”, por julgarem que isso é pôr Deus ao nosso nível e ao serviço dos nossos interesses pessoais, sendo, por isso, algo indigno. Mas há uma cláusula a ter em conta, quando se faz um pedido acompanhado de uma promessa :respeitar e pôr em primeiro lugar a vontade de Deus. Dou um exemplo: “Se for da Vossa vontade que ganhemos este campeonato mundial de futebol, prometemos (seleccionador, jogadores, dirigentes etc.) ir em peregrinação de agradecimento ao Vosso santuário de Guadalupe, no México. Isso Vos pedimos por Nossos Senhor Jesus Cristo.” etc. Esta cláusula salvaguarda a dignidade da promessa e coloca a vontade de Deus em primeiro lugar. Depois, Deus lá sabe!

Outro argumento em favor das promessas: A Igreja Católica aceita que se façam promessas nas condições acima referidas e refere a obrigatoriedade de cumprir o que se prometeu, caso Deus tenha concedido o que se pediu. Também há promessas que não pedem contrapartidas, como sejam os votos dos sacerdotes e dos Religiosos.

Ao fazer uma promessa, o promitente faz uma oração, reconhece a sua pequenez, fraqueza e incapacidade para resolver um problema, por isso, em humildade e em atitude suplicante, recorre ao Deus Todo Poderoso, directamente ou através da Virgem Maria ou de algum outro santo. Como a oração, seja ela de intercessão, de súplica, de louvor ou de acção de graças, é um acto de ligação a Deus, tudo redundará em benefício espiritual ou material para o promitente. Se Deus conceder o que se pede, ficará para sempre a memória do favor alcançado e um permanente acto de gratidão, traduzido ainda num reforço da fé e da prática mais viva dos sacramentos. Ao cumprir a promessa, terá possivelmente de fazer um sacrifício, uma despesa, uma deslocação, um obra boa em favor do próximo ou de si próprio. Ficarão ainda motivos suficientes para todos os dias agradecer a Deus pela Sua bondade.

O que se pode perder numa promessa conscientemente não cumprida?

Aqueles santuários marianos que se ergueram em locais de aparições confirmadas e aceites pela Igreja Católica costumam ser fontes de graças específicas que ali são dispensadas por Deus, através da Virgem Maria, àqueles que a eles recorrem, seja por devoção espontânea ou em virtude de acção de graças por promessas satisfeitas ou ainda por satisfazer. As promessas satisfeitas têm sempre, na mente de Deus, o bem das almas, muitas vezes através da cura de males físicos, redundando daí um reforço da fé e da prática sacramental. Quantas vezes se dá o encontro das almas com Deus através de uma Confissão bem feita, algo que já se não fazia havia muitos anos. Lourdes e Fátima valem sobretudo pelas conversões e pelas curas milagrosas. Vale sempre o aforismo: Pelos corpos, às almas. Outra vantagem: a devoção sincera a Nossa Senhora dá firmeza na fé católica e garantia de assistência divina na hora da morte. Outras vezes, regressam à Igreja Católica aqueles que se afastaram dela.

E agora, a ser verdade o assunto da promessa acima referida, o que terão perdido aqueles que prometeram e não cumpriram? Ainda estão a tempo de a cumprir, pois suponho que estarão ainda todos vivos. Mais vale tarde que nunca.

Nota:

Se alguém tiver mais dados sobre a promessa de que se fala, agradeço as informações ou as correcções a fazer. De qualquer modo, fica a informação sobre as promessas em geral.

Ezequiel Miguel

Salmo 149 (150) – Cantai ao Senhor um cântico novo

salmo responsorialCantai ao Senhor, joviais, um cântico novo,

cante a assembleia dos santos o seu louvor,

alegre-se no seu Deus, Israel, Seu povo,

rejubile Sião no seu Deus, Rei e Criador.

.

Louvem o Seu Nome com cânticos e danças,

exaltem, ao som da cítara, a Sua glória;

porque Ele gosta do Seu povo, sem semelhanças,

aos pobres e aos humildes concede a vitória.

.

Exultem da Sua glória os fiéis, de alegria,

ressoem os seus cânticos em sua moradas,

das suas bocas venham louvores à porfia,

em suas mãos exibam seus gumes as espadas,

.

para executar vingança sobre as nações

e aos povos um severo castigo aplicar,

para lhes prenderem os seus reis com grilhões

e os nobres com algemas de ferro amarrar,

.

para executar neles a sentença escrita.

Esta é a glória de todos os seus santos. Aleluia!

.

Ezequiel Miguel

Previous Older Entries

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.