Cristo, o Bom Pastor ( Cf. Jo 10,11-18)

Disse-lhes Jesus: Eu sou o Bom Pastor.

O Bom Pastor dá a vida pelas ovelhas.

O mercenário, porém,  não lhes tem amor,

porque elas não vivem  debaixo de suas telhas.

.

Ele, ao ver o lobo…o invade o terror,

foge, deixando as ovelhas em ansiedade,

sem o cuidado e a guarda do seu pastor,

enquanto o lobo se  satisfaz  à vontade.

.

Eu conheço a ovelha que do redil não sai,

porque ela  Me reconhece igualmente,

assim como me conhece  também o Pai,

tal como Eu O conheço  verdadeiramente.

.

Por minhas ovelhas Eu dou a minha vida,

tenho, porém, outras fora deste redil,

que preciso de trazer e lhes dar guarida,

para que elas a minha voz  possam ouvir.

.

Então, a minha voz elas irão ouvir,

e será  um rebanho e um  Pastor somente.

Eu dou minha vida sem ninguém me pedir,

porque serei  Eu que a dou espontaneamente.

.

Se o Pai me favorece com o Seu Amor,

é porque Eu dou a vida para a retomar;

Eu tenho o poder de dela sempre dispor

e também recuperá-la depois de a dar.

.

Ezequiel Miguel

Jesus e o falso paralítico

(Realidade & ficção)

Personagens: Jesus, fariseus, falso paralítico

.

Hospital26_1Jesus tornara-se um quebra-cabeças para as autoridades religiosas dos Judeus, obrigando o Sinédrio a reunir frequentemente para debater as palavras, as atitudes e os comportamento de Cristo.

Mas, como toda a discussão terminava sem resultados práticos, angariavam-se cada vez mais espiões para darem notícias daquilo Jesus dizia, fazia e por onde andava. Eram, normalmente, os chefes das sinagogas que davam as informações, mas também havia comissões (pequenos grupos), encarregados de  armar ciladas a Cristo, para O levarem a contradizer-se, a atacar a Lei de Moisés e os Romanos, que ocupavam o país. O objectivo principal era desacreditá-lo perante as multidões ou torná-lo inimigo de César, prestando assim um serviço ao Governador Pôncio Pilatos, que depressa O meteria na prisão e o condenaria à morte por fomentar revoltas populares. Aliás, já vários falsos messias tinham pago com a vida tais atrevimentos.

Na impossibilidade de apanharem Cristo em hostilidade contra os Romanos, o Sinédrio optara também por apanhá-lo em pecado, pagando e enviando prostitutas, que, por via de regra, acabavam convertidas, quer pela argumentação quer pelo olhar penetrante e luminoso de Cristo, que tudo viam. Um terceiro ponto em que os fariseus e outros atacavam dizia respeito aos milagres que Jesus fazia por todo o lado, curando todo o tipo de doenças, assim como à expulsão de demónios que massacravam os possessos.

Quanto aos milagres de curas e à expulsão dos demónios, os fariseus, saduceus, doutores da Lei e sacerdotes depressa abafaram a consciência, acusando Cristo de fazer tudo aquilo por obre e graça de Belzebú, um dos mais poderosos demónios, esquecendo que dos demónios, seja ele qual for, não pode vir coisa boa. Era assim, é assim e será sempre assim! E se alguma coisa vinda deles parece boa, tem a finalidade de enganar e de preparar algo mau que virá depois.

Então, se nada vinha de Cristo que pudesse incriminá-LO, tornava-se imperioso armar-Lhe ciladas. Para isso, era preciso pôr a imaginação a funcionar e arquitectar os necessários planos.

E foi assim que, em certa aldeia, antes da pregação, Jesus ia curando os doentes e os possessos. Em dado momento foram colocados à sua frente dois paralíticos, transportados em padiolas:

1º Fariseu – Mestre, trazemos-te aqui dois doentes paralíticos, para que os cures.

Jesus – E vós acreditais que Eu tenho poder para os curar? Já me vistes curar muitos, mas, mesmo assim, não acreditais em Mim! Porque trazeis estes?

2º Fariseu – Então, se já curaste muitos, cura também estes. Já vimos que tens esse poder, mas não sabemos de onde ele te vem!

Jesus – De onde veio ao profeta Elias o poder de ressuscitar o filho da viúva de Sarepta? De onde veio a Moisés o poder de separar as águas na travessia do Mar Vermelho?

3º Fariseu – Veio de Yahweh!

Jesus – E o Meu não sabeis de onde vem ? É estranho! Pois, digo-vos. Vem de Mim mesmo, como Filho de Deus que sou e como o Messias verdadeiro que sou!

1º Fariseu – Pois, mas isso a nós agora pouco interessa. Se tens esse poder, mostra-o agora, curando estes doentes que te apresentamos aqui! Tem pena deles e das suas famílias, que sofrem muito.

Jesus – Pois vou mesmo mostrar-vos o Meu poder, como já mostrei em muitas outas ocasiões. (Dirigindo-se ao primeiro paralítico): Acreditas que eu posso curar-te?

1º Paralítico – Acredito, Senhor!

Jesus – Então, levanta-te, vai para tua casa e não peques mais! (Dirigindo-se aos apóstolos): Vamos agora pregar à multidão!

2º fariseu- O quê?! Não curas este paralítico? Que mal te fez ele, para não o curares? Não tens pena dele e da sua família? É assim que pregas o amor ao próximo? Será que temos de te oferecer dinheiro para o curares? Já viste que te vamos acusar de seres injusto e discriminador? Já curaste tantos e deixas este sem nos explicares os motivos?

Jesus – Mas vós conheceis os motivos!…

3º Fariseu – É claro que não conhecemos! Quem sabe porque é que um paralítico é paralítico? Só Deus sabe!

Jesus – Vós dizeis então que ele é paralítico! E o vosso paralítico sabe porque é paralítico?

1º Fariseu – Claro que sabe que é paralítico, mas não sabe porquê! Ninguém sabe! Só Yahweh!

Jesus – Nem meu Pai nem Eu sabemos por que motivo ele é paralítico,… porque ele não é paralítico! Vós, fariseus hipócritas, viestes aqui com ele para me armardes uma cilada. (Ao falso paralítico e fixando nele o olhar perscrutador): Que dizes tu, Jovem?

Jovem – (Levantando-se rapidamente e preparando-se para fugir): Senhor, não me castigues! Eles pagaram-me para eu fazer de paralítico. Eu não queria, mas eles insistiram e ameaçaram-me, se não alinhasse! Peço-te perdão, pois me envergonho de ter colaborado com eles.

Jesus – Estás perdoado! E não repitas! Dá graças a Deus, porque dentro de momentos ias mesmo ficar paralítico. Viverias o resto da tua vida paralítico e paralítico morrerias, em expiação do teu pecado. Vai em paz! E não esqueças que Yahweh abomina a mentira e a hipocrisia, punindo severamente quem se entrega a elas.

 .

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados

.O Sinédrio trama ciladas contra Cristo

.Jesus é convidado para Rei de Israel

. Vai e não peques mais!

. Jesus em casa do fariseu Simão

. A moeda na boca do peixe

. Mulher, ninguém te condenou?

Sou Eu mesmo!… Tocai-me!..

(Cf. Lc 24, 35-48)

.

Tome19Naqueles dias os dois discípulos contavam

como, no seu caminho para Emaús,

ansiosos e preocupados conversavam

sobre o que se tinha passado com Jesus.

.

Eis que cada um surpreendido ficou

quando Jesus na conversa se intrometeu:

“A paz esteja convosco” – Jesus saudou,

pois no meio deles de repente apareceu.

.

“Qual a causa de tantas preocupações?

Que motivos tendes para Dele duvidar?

Porquê as dúvidas em vossos corações?

Não vos disse Ele que iria ressuscitar?

.

Eis-me aqui! Minhas mãos e Meus pés podeis ver !

Tocai-me! O Meu corpo é de carne e de ossos!

Tendes aí alguma coisa para comer?

Vereis como tenho um corpo igual aos vossos! “

.

Foi-Lhe dada uma posta de peixe assado,

que Ele tomou e eles O viram comer.

Disse-lhes: ”Lembrai o que vos foi anunciado

quando ainda convosco, antes de morrer.

.

Estas as palavras que Eu então vos dirigi,

quando ainda convosco: Tem de se cumprir

o escrito nos Salmos e em Moisés sobre Mim

e nos Profetas que sempre vistes surgir”.

.

Do entendimento Ele lhes abriu as vias

para as santas Escrituras compreender.

E então disse-lhes:” Está escrito que o Messias

antes de ressuscitar, teria de morrer.

.

Em Seu Nome, em todo o mundo se pregaria

o arrependimento e o perdão dos pecados

e que por Jerusalém se começaria.

Para tudo isto sois agora convocados.”

.

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Oito dias após a Ressurreição

. Ressuscitou, como disse

Enigmas bíblicos IX – O dia em que o sol parou

(Confira: Josué 10,12-15)

 .

Amorreus“No dia em que o Senhor entregou os Amorreus nas mãos dos filhos de Israel, Josué falou ao Senhor e disse, na presença dos Israelitas:

“Detém-te, ó Sol, sobre Guibeon! E tu, ó Lua, sobre o vale de Aialon!”

E o Sol deteve-se e a Lua parou até o povo se ter vingado dos seus inimigos. Isto está escrito no Livro do Justo. O Sol parou no meio do céu e não se apressou a pôr-se durante quase um dia inteiro. Nem antes nem depois houve um dia tão longo como aquele em que o Senhor obedeceu à voz de um homem, pois o Senhor combatia ao lado de Israel. Depois disto, Josué voltou para o acampamento de Guilgal, com todo o Israel”. (Js 10, 12-15)

O Livro de Josué é um dos livros históricos da Bíblia, juntamente com Juízes, Rute, 1 Samuel, 2 Samuel, 1 Reis, 2 Reis, 1 Crónicas, 2 Crónicas, Esdras, Neemias, Tobite, Judite, Ester, 1 Macabeus, 2 Macabeus, num total de dezasseis.

Já deve ter ouvido que a Bíblia não erra. Isto diz a Igreja Católica e também algumas confissões protestantes, o que se define por inerrância. Se se acredita que a Bíblia não erra, porque há tanta confusão, depois de Lutero, nas interpretações que dela se fazem? Se ela não erra, porque há tantas seitas baseadas na Bíblia? A Verdade pode estar em todas? Ora, a Verdade ou é total ou não é a Verdade. Eis porque é a Igreja Católica a única depositária da Verdade total, por isso, não pode errar naquilo que leva à salvação eterna, porque foi a ela que Cristo entregou os meios de salvação. A questão tem a ver com as diferentes interpretações que dela se fazem e também tem a ver com os textos adulterados, cortados, aumentados,…com o fim de permitirem acreditar naquilo em que se quer acreditar. Para os católicos só são válidas as Bíblias aprovadas pela Autoridade Eclesiástica, normalmente, um Bispo Católico, cuja assinatura tem de vir logo no início, após o “Imprimatur”, que significa: Pode imprimir-se.

Será este um caso em que a Bíblia erra?

.

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Enigmas bíblicos I – Nascimento de João Baptista

. Resposta a “Enigmas bíblicos I” – Nascimento de João Baptista

. Enigmas bíblicos II – Perda e encontro de Jesus no Templo

. Resposta a “Enigmas bíblicos II “– Perda e encontro de Jesus no Templo

. Enigmas bíblicos III-Moisés e a água do rochedo

. Resposta a “Enigmas bíblicos III”-Moisés e a água do rochedo

. Enigmas bíblicos IV – As virgens loucas

. Resposta a “Enigmas bíblicos IV” – As virgens loucas

. Enigmas bíblicos V – Um anjo dizima 185.000 soldados assírios

. Resposta a Enigmas bíblicos V – Um anjo dizima 185.000 soldados assírios

. Enigmas bíblicos VI – Anúncio de herdeiro a Abraão

. Resposta a Enigmas bíblicos VI – A núncio de herdeiro a Abraão

. Enigmas bíblicos VII – A figueira amaldiçoada

. Resposta a Enigmas bíblicos VII

. Enigmas bíblicos VIII – Ai de vós, doutores da Lei e fariseus hipócritas

. Resposta a Enigmas bíblicos VIII

Oito dias após a Ressurreição

(Confira: Jo 20, 19-29)

.

res27Era daquela semana o primeiro dia,

as portas, por medo, tinham sido fechadas,

mas eis que Jesus de repente aparecia

e todas as dúvidas foram apagadas.

.

No lugar onde os discípulos se encontravam,

foi no meio deles que Jesus se colocou

e eles, que por Ele, ansiosos, tanto O aguardavam,

ouviram a saudação com que Ele os saudou:

.

“A paz esteja convosco!”. E lhes mostrou

as Suas mãos e o lado direito perfurados.

Cada um dos discípulos alegre ficou,

sem pestanejar e de olhos arregalados.

.

Aquela saudação Jesus lhes repetiu,

pois eles ficaram sem poder de reacção.

Então, Jesus de novo se lhes dirigiu:

Sou Eu! Não duvideis! Ouvi com atenção:

.

A paz esteja convosco! O Pai Me enviou,

assim o Filho vos envia a vós também!

Depois, sobre eles soprando, assim falou:

“Recebei o Espírito Santo, que a vós vem!

.

Àqueles a quem perdoardes os pecados,

eles do pecador desaparecerão,

de contrario, eles não serão perdoados

e, assim, na posse do pecador ficarão”

.

Tomé, a quem todos de Gémeo apelidavam,

encontrava-se , quando Jesus veio, ausente.

Então, os outros discípulos o alertavam:

“Vimos o Senhor! É Ele mesmo, realmente!”

.

Porém, Tomé, incrédulo, lhes respondeu:

“Quero ver o sinal dos pregos em Sua mão,

enfiar no local dos pregos um dedo meu

e no Seu peito quero ver o buracão.

.

Se eu isto não fizer, não acreditarei!

Oito dias depois estavam todos reunidos.

Jesus disse a Tomé: Não crês, isso já sei,

mas ireis ficar todos de vez convencidos!

.

Tomé, olha as minhas mãos! Dá cá o teu dedo!

Mete agora a tua mão no lado do meu peito!

De acreditar que sou Eu mesmo não tenhas medo!

De falta de fé em Mim não sejas suspeito!

.

Tomé, com Jesus perscrutando os olhos seus,

disse, convencido, humilde e envergonhado:

Mestre, Tu és o meu Senhor e o meu Deus

e a Teus pés me prostro até ao chão, curvado.

.

Disse Jesus: Porque viste, acreditaste!

De minhas palavras fixa, bem firme, isto:

Sê agora crente fiel, tu que duvidaste!

Felizes os que acreditam sem terem visto!

.

Ezequiel Miguel

No caminho de Emaús (Lc 24, 13-35)

(Realidade & Ficção)

 .

“Ferirei o Pastor e as Ovelhas dispersar-se-ão” (Zc  13, 7)

Assim aconteceu. O Pastor foi preso, julgado, condenado, executado,…e as Ovelhas dispersaram, com medo dos Lobos, tendo-se mantido escondidas, em angústia, frustração, ansiedade, incerteza, perplexidade,… quanto ao presente e ao futuro,… até  pensarem que já teriam alguma segurança.

Mas essa segurança apenas foi sentida quando tiveram a certeza da Ressurreição do Pastor, que lhes indicou  onde o Rebanho se deveria reunir:” Espero-vos na Galileia” ( Mt 28,10).

Os apóstolos, que se mantiveram escondidos em cavernas escavadas no monte do Calvário e arredores, reuniram-se, os que puderam, no Cenáculo, onde estavam também as santas mulheres de que falam os evangelhos, incluindo a Mãe de Jesus, mas  Tomé e alguns discípulos andavam por ali perdidos e desorientados. Alguns saíram de Jerusalém, pois já se falava na vingança de Caifás sobre todos aqueles que tivessem alguma coisa a ver com  o Mestre e a Sua doutrina. Todos eles eram encarados como traidores e a hora de Caifás poderia não demorar muito a chegar. A caminho de Emaús, aldeia não longe de Jerusalém, vão dois dos Seus discípulos ainda recentes e ainda longe de compreender o alcance de tudo o que acontecera.

Cléofas –  Eu estou desanimado! Tinha posto tanta confiança no Mestre e Ele, não sei por que carga de água, não fez nada para evitar esta tragédia. Agora, sabe-se lá o que nos acontecerá, porque eu não acredito que o Caifás considere o assunto arrumado. Se foi capaz de levar o Messias à morte, o que ele não fará dos seus discípulos! Onde é que nos poremos a salvo da tropa do Caifás e do Herodes?

Lucas –  É por isso que fazemos bem em fugir de Jerusalém! Lá, em Emaús, poderemos estar mais seguros, mais esquecidos, mais ignorados, mais distantes daquela toca de víboras. Aos que ficarem em Jerusalém é que eu não sei o que lhes acontecerá! Penso no Nicodemos e no José de Arimateia, ambos Anciãos! O Caifás já os deve ter marcado com o selo da perseguição, pois o que eles fizeram a favor do Mestre, defendendo-O até no Sinédrio, não vai ser esquecido tão depressa.

Cléofas – Penso que ele vai começar pelo José de Arimateia. É preciso coragem e amor ao Mestre para fazer o que ele fez: pedir o corpo do Mestre a Pilatos, descê-lo da Cruz, proporcionar-lhe um funeral digno e oferecer o seu próprio túmulo, ainda por inaugurar, para depositar o Mestre. Tudo isso, sem se preocupar com as despesas, o receio de ser perseguido, humilhado, maltratado, difamado, caluniado, preso, morto. É um verdadeiro mártir ainda vivo! Ele mandou todas as possíveis consequências para trás das costas. Quem dera que um dia eu tivesse a coragem dele!

Lucas – E o Nicodemos? Ele fora uma vez procurar Jesus de noite(…), para não ser visto pelos seus colegas do Sinédrio. Mas, uma vez que se decidiu a seguir o Mestre, assumiu, com frontalidade e coragem, tornar-se Seu discípulo!  É verdade que nós também o somos, mas ainda estamos no começo do que nos espera! Mas o Mestre dar-nos-á coragem para o que for preciso, se ele ressuscitar, como prometeu.

Cléofas – Nós temos muito a aprender com eles, sobretudo o não ter medo de seguir o Mestre e não pensar nas possíveis consequências que daí nos possam vir. Eu lembro-me de algumas coisas que Ele disse e que vai ser necessário começar a pôr em prática.

Lucas – Por exemplo?

Cléofas – Por exemplo:” Aquele que der a vida por Mim, salvá-la-há” ; “Todo aquele que põe a mão ao arado e olha para trás, não é digno de mim”;  Se alguém quer seguir-me, tome a sua cruz e siga-me…

Lucas – Eu também me lembro de algumas, por exemplo: Felizes os que sofrem perseguição por amor da Verdade, porque deles é o reino dos Céus;  Se me perseguem a Mim, que sou o vosso Mestre, a vós, que sois meus discípulos, também vos perseguirão, porque o discípulo não é mais do que o Mestre;  Felizes sereis quando, dizendo toda a espécie de mentiras, vos acusarem, difamarem, caluniarem e vos matarem. Ficareis inscritos no Reino dos Céus…

Cléofas – Lembro-me de mais algumas : Felizes os puros de coração, porque verão a Deus; Felizes os que têm fome e sede de santidade, porque serão saciados; Felizes os  mansos, os pacíficos, os misericordiosos,  os arrependidos, os pobres em espírito,…porque…

Lucas– Porque ganharão o paraíso!

Cléofas – Isto é que está aqui um programa! Quem o poderá cumprir sem a Sua ajuda?

Lucas – Ninguém! Ainda por cima, depois de fazermos isto, ainda nos chamarão parvos, doidos, idiotas, atrasados mentais, ignorantes, ingénuos, antiquados, botas de elástico,…porque não somos como a maioria! É isto que nos espera! Mas, no fim, Ele cumprirá o que promete: o Paraíso!

Cléofas – Tudo certo! Mas eu pergunto: Seria mesmo necessário deixar-se matar para mudar isto tudo? Ele não podia paralisar, ao menos, os Seus inimigos, como fez lá em Nazaré quando queriam deitá-lo do monte abaixo?

Lucas – E quando o iam prender, Ele não fez cair todos aqueles bandalhos somente por dizer. “Sou eu”? Ele não se serviu do Seu poder, porque Ele dizia que tinha de cumprir as Escrituras. O que eu sei é que Ele, a dado passo, falava disso. Mas há assim tanta coisa nas Escrituras sobre a vida e a morte do Messias de Israel? Eu sempre pensei que Ele vinha para expulsar os Romanos e livrar-nos também do Herodes, que, ao que dizem, mandou matar a mãe e os próprios filhos! Se há tanto mal no mundo, Ele podia tornar-se Rei e endireitar tudo isto! Não era um Rei assim de que se falava nas sinagogas?

Viajante – A paz esteja convosco,  meus amigos! Então, posso saber de que falais assim tão preocupados? Os vossos discursos parecem ser de preocupação e os vossos rostos parecem revelar alguma tristeza!

Lucas – Temos motivos para isso. Serás tu o único forasteiro em Jerusalém a ignorar o que lá se passou nestes dias?

Viajante – O quê?

Lucas – O que se refere a Jesus de Nazaré, profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo. Como os sumos sacerdotes e os nossos chefes o entregaram para ser condenado à morte e crucificado. Nós esperávamos que fosse ele o que viria redimir Israel, mas, com tudo isto, já lá vai o terceiro dia desde que se deram estas coisas. É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deixaram perturbados, porque foram ao sepulcro de madrugada e, não achando o seu corpo, vieram dizer que lhes apareceram uns anjos que afirmavam que Ele vivia. Então, alguns dos nossos foram ao sepulcro e encontraram tudo como as mulheres tinham dito, mas a Ele não O viram.

Viajante – Ó homens sem inteligência e lentos de espírito para crer em tudo quanto os profetas disseram! Não tinha o Messias de sofrer essas coisas para entrar na Sua Glória? As Escrituras falam do Messias desde os tempos de Moisés, passando pelos profetas e pelos salmos. Acaso não conheceis nada do que as Escrituras dizem a Seu respeito? Não dizem elas que o Messias tinha de padecer, ser perseguido, condenado e morto para redimir toda a humanidade pecadora?

Lucas – Mas era mesmo preciso deixar-se matar quando ele tinha o poder  sobre as coisas e as pessoas? Falando de Jesus de Nazaré! Nós éramos amigos e discípulos Dele, mas agora não sabemos o que fazer. É certo que Ele disse que ressuscitaria, mas uma coisa é dizer e outra é fazer! Se nós O víssemos ressuscitado!…

Viajante – O que faríeis?

Cléofas – Iríamos a correr até Jerusalém para darmos a notícia aos discípulos e à Mãe Dele, que ficou inconsolável!

Viajante – Mas Ele não vos explicou as Escrituras sobre o que aconteceria ao Messias? Os vossos mestres, sacerdotes, anciãos, fariseus, saduceus, doutores da Lei, não vos explicaram tudo sobre o Messias de Israel esperado durante tantos séculos. Até diz algures que Ele será chamado Nazareno e que nasceria em Belém! Sabeis onde é que Ele nasceu?

Lucas e Cléofas – Em Belém de Judá!

Viajante – E porque foi chamado Nazareno?

Lucas e Cléofas – Porque foi  criado em Nazaré!

Viajante – As Escrituras não dizem também: “Do Egipto chamei o Meu Filho?”.  Acaso sabeis porquê? Se Deus o chamou do Egipto, é porque Ele estava lá! O que sabeis sobre isto?

Lucas – Ele realmente esteve no Egipto, foi o que nos contaram aqueles que conviveram mais de perto com Ele?

Cléofas – Como é que tu sabes tantas coisas sobre o Messias? Também és discípulo Dele?

Viajante – Eu sei tudo sobre Ele, porque eu sou Mestre em Israel e conheço todas as passagens das Escrituras que se referem ao Messias. Todas, até ao mais pequeno pormenor!

Lucas – Então, nós somos doutores ao contrário! Não sabemos quase nada ou mesmo nada! Estávamos à espera que aquele grupo que andava com Ele nos esclarecesse e nos desse notícias, mas eles desapareceram todos! Até parece que a terra os comeu!

Viajante – Mas isso também está nas Escrituras!

Lucas e Cléofas – A sério?

Viajante – Diz o profeta Zacarias:  Ferirei o pastor e as ovelhas ficarão dispersas

Lucas – Nunca ouvi dizer isso!

Viajante – E não vos constou que Ele disse lá no Templo: ”Deitai abaixo este templo e eu o erguerei em três dias!”?

Cléofas – Mas quem poderá erguer um templo daqueles em três dias?

Viajante – Meus amigos, o Templo era o seu próprio Corpo, Templo de Deus, porque Deus mora Nele. Ora, uma vez que esse Templo do Seu Corpo foi destruído, derrubado, só faltaria cumprir a promessa de o erguer em três dias. Pergunto-vos: Já passaram os três dias depois da sua morte?

Lucas – Já! É hoje o terceiro dia!

Viajante – Então, se Ele veio para cumprir as Escrituras, Ele já ressuscitou!

Lucas e Cléofas – O quê? O que dizes?

Viajante – Sim, Ele já deve ter aparecido a alguém e a primeira pessoa a vê-lo  seria a sua Mãe!

Cléofas – Mas isso deixa-nos em polvorosa, se for verdade!

Viajante – Ó cabeças duras e lentos de compreensão! Então Ele não tinha já dito e mostrado que vinha para cumprir tudo o que as Escrituras diziam a seu respeito? Porque duvidais? Alguma vez o apanhastes a fazer ou a dizer coisas sem nexo? Ele não vos recitava as Escrituras de cor, sem as ler, sabendo até em que livro estavam escritas, as  profecias, em que salmo, em que profeta? Ele não curou imensa gente, não ressuscitou mortos, sendo Lázaro o último deles, ele não imperou sobre os ventos e as ondas, não multiplicou os pães, não avisou com antecedência que ia ser morto e que ressuscitaria? Porque duvidais, mesmo assim? Acreditais ou não que os profetas não escreveram nada inventado por eles? Eles apenas transmitiram o que Deus lhes inspirava, por isso, eles apenas escreveram a Palavra de Iahweh e Iahweh é fiel ao que promete! Já vedes que o Messias tinha de cumprir rigorosamente tudo o que fora escrito a Seu respeito, sem falhar uma vírgula!

Lucas – Mas, afinal, Ele veio ou não para ser o Rei de Israel?

Viajante – Ele veio para ser o Rei espiritual de Israel, por isso nunca ouvistes falar de um palácio, de soldados, de um trono para Ele. Ele tem à sua disposição legiões e legiões de anjos, mas não se serviu deles para fundar um reino temporal e destronar qualquer dos reis que vós conheceis. O Seu Reino é o Reino de Deus, de que Ele falou muitas vezes! É esse Reino que Ele quer ver espalhado por todo o mundo. É através dos seus discípulos, entre os quais vós, que o Seu Reino se vai implantar no mundo! Vós e muitos outros é que farão parte do seu exército. Felizes de vós que já fostes escolhidos para isso!

Lucas – O que dizes está a mexer cá comigo e sinto não sei o quê quando falas com toda essa sabedoria! Tu és um doutor diferente. Os outros não falam assim. Não serás tu um profeta? Tudo em ti indica que sabes demais!

Viajante – Sim eu também sou um profeta!…

Cléofas – Mas, diz-me uma coisa! Eu sei que Ele disse que tinha vindo ao mundo por causa dos pecados dos homens e o João Baptista disse que Ele era o Cordeiro de Deus que tirava os pecados do mundo. Explica-nos isso! Se Ele tira os pecados, quer dizer que os pecados desaparecem e que passaremos todos a ser santos?

Viajante – Como sabeis das Escrituras, os nossos primeiros pais pecaram e o seu pecado transmitiu-se e sempre se transmitirá a todos os seus descendentes. Todos nascerão com esse pecado, excepto Ele, que é Homem-Deus.  Ora, Deus-Pai um dia perguntou: “Quem enviarei eu à Terra para pagar pela ofensa de Adão e Eva? É que, se Eu não encontrar ninguém para esse serviço, o paraíso ficará eternamente fechado. Preciso de alguém que pague o resgate por esse pecado e por todos os pecados que se fizeram, fazem e farão. Tem que ser alguém que seja Homem sem deixar de ser Deus, porque só Deus pode pagar um preço de acordo com a grandeza da maldade humana e da ofensa feita a Deus”.  Então, o Filho de Deus disse:”Eis-me aqui, Senhor para fazer a Tua Vontade. Estou pronto para essa missão!” Então, Deus-Pai deu-Lhe um corpo humano nascido apenas de uma Mulher virgem, que virgem ficou, porque a Deus nada é impossível. Quanto a tirar os pecados do mundo, todos nós vamos aprender em breve o que é preciso fazer para isso.

Lucas – Então, essa Mulher de que falas  é…

Viajante – Maria de Nazaré!

Cléofas – Céus! Que mistérios! E tudo isso está nas Escrituras?

Viajante – É claro que está!

Lucas – Oh! Que corja de cegos! Afinal, não sabemos nada de nada. Para que raio estudam eles tanto, lêem tanto, pregam tanto, explicam tanto, exibem tanta sabedoria oca? Tudo, para nada! Nós estamos admirados com a tua sabedoria. Uma sabedoria assim até parece…

Viajante – Até parece…?

Lucas – Não, não digo! Foi uma ideia que me passou pela cabeça!…Olhando bem para ti,…Não, não pode ser!… Devo estar a ser vítima de uma alucinação!…

Viajante – Não pode ser? Porquê?

Lucas – Passou-me pela cabeça a ideia de que  tu…, bem, é melhor não dizer, porque é uma ideia maluca!

Viajante – Até pode ser que não seja uma ideia maluca, mas…sem a revelares não se pode dizer nada dela! Bem, meus amigos, estamos quase a chegar a Emaús. No próximo cruzamento separamo-nos, pois eu sigo adiante.  Gostei de falar convosco. Espero que estejais agora mais animados, mais confiantes!…O vosso Mestre cumprirá o que prometeu. Eu  sei que Ele é fiel ao que promete e fiel a tudo aquilo que as Escrituras dizem a Seu respeito. Pronto, cá estamos no cruzamento! Despedimo-nos aqui! Foi um prazer vir na vossa companhia!

Cléofas  – Não!  Nós é que nos sentimos honrados pela companhia de um Doutor da Lei. Vem connosco! Teremos todo o prazer em te proporcionar a hospitalidade sagrada de humildes filhos de Israel. A noite já vai caindo e o dia está no ocaso. Sentar-te-ás à mesa connosco e poderemos conversar mais um pouco para iluminares a nossa ignorância. O que tu dizes parece que cria cá dentro raízes profundas. Precisamos de ouvir mais coisas da tua  boca!

Viajante – Bem, se insistis, faço-vos a vontade e desde já agradeço a vossa hospitalidade!

Lucas – Nós tencionamos ficar por aqui até termos notícias seguras de Jerusalém. Esperamos que as tuas palavras já contenham o que precisamos de saber:  Que Ele ressuscitou e está vivo!…

Cléofas – Chegámos à minha casa! Entremos e petisquemos qualquer coisa… Aqui está a água de que precisamos para nos lavarmos da poeirada do caminho.  Susana, somos três! Prepara a mesa!… Meu amigo, damos-te a honra de fazeres a oração!

Viajante – Não! Essa honra é para o dono da casa.

Cléofas – Senhor, Deus de Israel, nós Vos louvamos pelo Vosso poder e pela Vossa bondade em nos favorecerdes com o necessário para alimentar o corpo, à semelhança do maná que Vos dignastes conceder aos nossos antepassados no deserto. Por tudo, sede louvado.

Todos- Amen!

Cléofas – Ora, aqui está a água, o pão, o vinho, os figos, a manteiga, o queijo e a fruta! Bom apetite e bom proveito a todos nós!

Todos – Amen!

Jesus pega no pão, concentra-se, eleva os olhos ao céu, reza em silêncio,…tudo sob o olhar imóvel, atento, arregalado e perplexo de Lucas e Cléofas. Jesus abençoa o pão, parte-o e dá um bocado a cada um. Depois,…desaparece, ficando os discípulos sem  saber o que dizer ou fazer, até que, finalmente, recuperaram da surpresa.

Lucas – É o Senhor! Despachemo-nos e voltemos já a Jerusalém! Não sentias qualquer coisa estranho lá dentro enquanto Ele falava connosco? Não ardia o nosso coração quando Ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?

Cléofas –Eu também sentia, mas não sabia bem explicar o que sentia. Era a presença Dele que mexia connosco cá dentro. E a conversa Dele?…Devíamos ter logo adivinhado que aquilo não era sabedoria humana! É o Senhor! Aleluia! Sempre ressuscitou, como disse! Vamos levar a notícia a Jerusalém, para que todos percam o medo e a dúvida. Peguemos no pão e no queijo e comamos pelo caminho. Enfia também alguns figos no bolso, que eu levo o cantil da água. Não há tempo a perder! Vamos!

Levantando-se, voltaram imediatamente para Jerusalém e encontraram reunidos os Onze e os seus companheiros, que lhes disseram:” Realmente o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!” E eles contaram o que lhes tinha acontecido pelo caminho e como Jesus se lhes dera a conhecer ao partir do pão. ( Lc 24,33-35)

 .

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Ressuscitou, como disse

. Jesus morre na cruz

Salmo 117 (118) – Eis o dia que o Senhor fez

Celebrai o Senhor, por sua imensa bondade,

porque dura para todo o  sempre o Seu amor.

Diga a Casa de Israel,  de Aarão, em unidade:

é eterna a misericórdia do Senhor.

.

Todos aqueles que cultivam  Seu Temor

repitam: dura para sempre a Sua bondade;

na tribulação eu gritei pelo Senhor,

Ele me ouviu e aliviou minha dificuldade.

.

O Senhor está comigo, jamais temerei.

O que tenho, vindo dos homens, a temer?

A meu lado o Senhor ajuda-me, eu sei,

dos meus inimigos já nem quero saber.

.

Vale muito mais refugiar-se no Senhor

do que depositar nos homens a confiança,

vale muito mais refugiar-se no Senhor

do que colocar nos nobres a esperança.

.

As nações todas, em aliança, me cercaram,

mas em nome do Senhor as aniquilei,

conluiadas, todas um cerco me montaram,

mas em nome do Senhor as aniquilei.

.

Como vespas por todo o lado me cercavam,

como fogo em silvas  os ouvia em redor,

em sua fúria assanhada me circundavam,

mas aniquilei-os em nome do Senhor.

.

Empurraram-me ao verem a minha fraqueza

mas veio em meu auxílio a mão do Senhor;

o Senhor é minha glória e fortaleza,

Ele me salvou, Ele é o meu Salvador.

.

Ressoe um brado de alegria e salvação

saído dos corações dos que temem o Senhor,

o Senhor usou com valentia a Sua mão,

a Sua dextra a todos mostrou o seu vigor.

.

Foi com dureza que Ele me entregou à dor,

mas não me fez de entre os vivos desaparecer;

para anunciar as maravilhas do Senhor

não irei com a morte, mas hei-de viver.

.

Para dar graças ao Senhor eu entrarei

pelas portas da justiça, que se abrirão,

aberta a porta do Senhor contemplarei,

será por ela que os justos entrarão.

.

Dou-Vos graças porque em Vós meus gritos ecoaram

e fostes para mim a única salvação;

a pedra que os construtores não aproveitaram

tornou-se a pedra que de todas faz junção.

.

Tudo isto foi feito por obra do Senhor,

sendo justo que esta maravilha admiremos;

neste dia Ele mostrou o Seu vigor,

neste dia nos  alegremos e cantemos.

.

A salvação nos concedei, por Vosso amor,

a vitória igualmente Vos imploramos;

bendito o que vem em nome do Senhor!

Da Casa do Senhor nós vos abençoamos.

.

O Senhor, nosso Deus, é quem nos ilumina.

Ordenai com ramagens uma procissão

até aos cantos do altar, onde termina.

Sois o meu Deus! Dou-Vos graças do coração.

.

Celebrai o Senhor, por Sua imensa bondade.

Sois o meu Deus, para sempre Vos exaltarei,

quero louvar-Vos por Vossa fidelidade

e pela salvação Vos glorificarei.

.

Ezequiel Miguel

Previous Older Entries

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.