Votar … Não votar… Em quem?… Porquê

crossing the boxPara os Católicos a questão de votar, sempre que há eleições, não é tão simples como parece e exige alguns conhecimentos políticos que incluam as filosofias e as ideologias em que assentam os partidos e os candidatos por eles propostos, além de conhecimentos sobre a Doutrina da Igreja.

É certo que não se ouve falar de uma “Pastoral do Voto Político”, mas nem por isso a Igreja deixa de ter documentos ainda hoje válidos, embora pouco  conhecidos pela grande maioria dos Católicos.

O dar o voto a inimigos da Igreja, àqueles que a combatem, a querem paralisar e destruir e espezinham as Leis de Deus…será assim algo que não mereça mais atenção e esclarecimento? Será suficiente dizer aos cristãos:” Votem segundo a vossa consciência”?  Eu nunca ouvi dizer a este propósito: “Cumpram os Mandamentos segundo a vossa consciência, guardem a castidade segundo a vossa consciência, matem ou não segundo a vossa consciência, roubem ou não segundo a vossa consciência…”, mas ouço em todas as eleições:”Votem segundo a vossa consciência!”. Quem ajudou a formar uma recta consciência, uma consciência alinhada com os interesses de Deus, da Igreja e das almas? Quem afia as consciências rombas e as sensibiliza para os verdadeiros valores cristãos que todos os Baptizados devem defender? Será negócio de pouca monta impedir que os inimigos de Deus e da Igreja tomem conta do Governo e do Parlamento de um país? Não vemos hoje, como prova, as propostas pecaminosas feitas  pelo Governo do Partido Socialista e aprovadas ou a aprovar pelo seu Parlamento, com o voto favorável dos Partidos Comunistas? Pois saiba que são Comunistas o PCP, o Bloco de Esquerda, os Verdes, a CDU e todos os partidos menores  ditos socialistas ou comunistas, pois em alguns casos os termos “socialista “ e “comunista” significam a mesma coisa. Embora haja algumas diferenças de fundo entre estes partidos comunistas e o  Partido Socialista de Portugal, no ataque à Igreja e destruição da Sua doutrina e dos outros valores cristãos,… acabam por ser todos iguais. Quando um diz: “Mate-se antes de nascer, os outros apoiam e propõem: “Mate-se também depois de nascer, sem esperar que morram”. Quando um diz: “Haja homossexualidade!”, os outros dizem: “Haja casamentos homossexuais e famílias homossexuais!” Quando um diz: “Retirem-se os Crucifixos das Escolas!”, os outros dizem: “Apoiado, a Igreja Católica é igual às outras! Abaixo toda a discriminação!”. Quando um diz:” Um casamento entre um homem e uma mulher é uma velharia do passado, uma invenção aberrante”, logo os outros apoiam e dizem:” Isso mesmo, viva o Estado moderno! Hoje já ninguém acredita em tais coisas. Viva o casamento homossexual, abaixo a discriminação!” Quando a Igreja defende a sacralidade da família cristã como instituição divina, um deles grita e depois todos apoiam: “Abaixo! Façamos essas instituições do passado pagar mais impostos e substituamos o casamento por uniões de facto e apoiemo-las com redução do IRS!”.  Quando um diz: “Para que queremos tantos filhos nascidos sem serem convidados? Paguemos os abortos e paguemos também para não haver abortos! E todos gritam: “Apoiado! Assim é que é falar!”.  A Igreja diz:” Divórcio, não!” Eles dizem e usam toda a maquinaria para que se ouça até nas tumbas dos mortos: “A Igreja não é para aqui chamada; política é uma coisa, religião é outra! Nós é que mandamos! O nosso modelo de sociedade é o de uma sociedade moderna! Vivemos em Democracia avançada e orgulhamo-nos disso! Aqui ninguém acredita que o sexo sirva só para gerar filhos!”….A Igreja diz:” Guardarás castidade nas palavras, nos actos, pensamentos e desejos” . Eles dizem: “Aqui alguém acredita nisso? Isso era antigamente. Se o sexo só serve para gerar filhos, para que o queremos?”

.

Socialismo e Comunismo – Se um Católico estiver disposto a votar no Socialismo ou no Comunismo, é bom que saiba o que faz e a responsabilidade que assume e as possíveis consequências da sua adesão a quem não só combate Deus, a Igreja, os Mandamentos, a salvação das Almas, mas até a própria ideia de que tais Realidades existam. Por muito verniz que o Socialismo e o Comunismo usem para tapar a sua verdadeira essência, há uma coisa que não se apaga deles. Ambas as ideologias têm um pai comum ( o filósofo alemão Marx) e uma mãe  comum: uma ideologia materialista, ateia, que fazem da Igreja Católica o Inimigo principal, que não aceitam a existência de Deus e combatem toda a ideia de Deus. O seu combate contra a Religião pode ser às claras ou secreto, tendo em vista destruir a Igreja e a Verdade, quer infiltrando-se nela para a subverter, quer hostilizando-a ou ridicularizando-a na política, nos jornais, nas Televisões, nos governos, nos parlamentos, nas instituições culturais ou sociais, onde os domina a preocupação de passarem por beneméritos, solidários…, tudo para conseguirem o poder e lá permanecerem por anos e anos.

.

As ideologias Marxistas e Comunistas geraram rios de sangue humano para se implantarem e se manterem no poder, ao ponto de o século XX, o século do Comunismo, ter dado mais mártires à Igreja do que as perseguições dos Imperadores Romanos dos primeiros séculos da Igreja. E não foram só os cristãos as vítimas do Comunismo. Também qualquer pessoa que manifestasse a mínima oposição, religiosa ou política, ao Partido e seu Governo  pagava com a morte ou trabalhos forçados até morrer em condições miseráveis, sem qualquer tipo de dignidade humana. Apesar de os políticos comunistas andarem sempre a defender os pobres, os trabalhadores, os operários, os aumentos de ordenados, as melhores condições de trabalho, a redução de horas de trabalho, a liberdade, a justiça, a democracia,… etc., etc.,…não o fazem por amor à dignidade do homem como filho de Deus, mas simplesmente porque precisam dos votos para atingirem o poder naqueles países onde não conseguiram conquistá-lo pela Revolução violenta, tanto que  uma das primeiras medidas que tomam é a instauração da pena de morte, para a qual tudo serve, se não for daqueles que diga Ámen ao Partido em tudo.  Em alguns casos conseguem ser eleitos pelos votos do povo, porque escondem a sua ideologia comunista, que se manifesta bem clara quando um comunista chega  a Presidente, como são os casos modernos de Salvador Allende no Chile, de Fidel de Castro em Cuba, Hugo Chaves na Venezuela. Fidel de Castro chegou lá pela Revolução, mas os outros dois foram os votos de populações de maioria católica que os lá colocaram. No caso do Chile, o General Pinochet proporcionou um golpe militar quando o Presidente tentou levar o Parlamento a implantar um regime comunista no país, tendo Hugo Chavez já manifestado a intenção de fazer o mesmo na Venezuela, tentativa falhada, por agora, mas já deu a entender que voltará a tentar. Os tribunais  julgaram o General Pinochet pelos crimes sobre apoiantes de Salvador Allende, tendo corrido muita tinta sobre esses crimes. Faço agora uma pergunta: Quem  foram os culpados remotos desta situação e destes crimes? Pinochet e seus Generais? Eles foram apenas os últimos culpados. Os primeiros foram os católicos que votaram em Salvador Allende, político comunista. Se acontecer coisa semelhante na Venezuela, quem serão os primeiros culpados? Os católicos que votaram em Hugo Chavez.

.

Socialismo e Comunismo condenados pelos Papas

Convém que todos os Católicos saibam que o Socialismo Marxista e o Comunismo, dele derivado e sua expressão política, foram condenados por vários Papas ( Pio IX, Leão XIII, Pio X, Pio XI , Pio XII e Papas seguintes) como ideologias intrinsecamente más ( más na sua essência, no seu âmago, nos seus princípios básicos), por basearem a sua essência na matéria, na ausência de Deus, no ateísmo activo, na perseguição à Igreja… Mais: decretaram a excomunhão sobre aqueles que as apoiarem, as professarem, as difundirem, votarem nelas, se inscreverem em Partidos Comunistas e outros semelhantes. Esta excomunhão, embora silenciada, está em vigor, pois nunca foi abrogada (abolida) por nenhuma Autoridade da Igreja . O Partido Socialista português é certo ser um partido democrático, que respeita a liberdade do voto e aceita democraticamente a derrota, mas convém saber ou recordar que tem sido o partido português que mais tem legislado na destruição de todos os valores cristãos e atacado a Igreja sempre que surge ocasião, embora o faça pela calada, subrepticiamente, de modo disfarçado e invocando falsos motivos… em nome da democracia, da igualdade, da modernidade, do progressismo, da eliminação da discriminação, da liberdade, da solidariedade, do bem- estar das pessoas, exibindo a torto e a direito a bandeira do “Estado Moderno”. Em toda esta política do bota-abaixo  da Moral Cristã é sempre apoiado pelo resto da Esquerda Política, onde se incluem também o Partido Comunista Português, o Bloco de Esquerda, a CDU, o Partido Operário Português, o Partido dos Verdes, o Partido Socialista Operário, o MRPP e outros menores. Recordemos a derrocada moral a que o Partido Socialista levou o país:

  1. Aprovação das Leis do Aborto e do Divórcio.
  2. Retirada dos Crucifixos das escolas.
  3. Asfixia das Instituições sociais da Igreja, ao retirar-lhes os ATLs e proibindo-as de receberem donativos alimentares.
  4. Tentativa de proibir a assistência religiosa a pessoas internadas em hospitais.
  5. Tentativa (por agora) de instituir a aberrante “família homossexual” (?) e permitir a adopção de crianças por elas.
  6. Desprezo pelo Casamento entre homem e mulher e tentativa (por agora) de substituí-lo por uniões de facto, com os mesmos direitos.
  7. Ridicularização da Castidade como valor cristão e Mandamento da Lei de Deus, invertendo totalmente a função do sexo humano, colocando-o aos portugueses como algo que também serve para procriar, mas cujo fim primordial (segundo o seu chefe) é a promiscuidade homossexual, a baixeza moral irracional.
  8. Tem dificuldade em aceitar o papel da Igreja na formação e desenvolvimento da Nação Portuguesa, assim como a acção dos missionários portugueses na expansão da fé e do império, com nítido desprezo pelos seus heróis e pelos seus santos. Basta ver que nem um representante enviou à canonização de Nuno Álvares Pereira, ao qual se deve a independência do País.
  9. O adiamento em fazer entrar em vigor  a Concordata com a Santa Sé, depois de negociada com os Bispos Portugueses e aprovada por ambas as partes.

.

Que partidos restam aos Portugueses que se dizem baptizados, membros da Igreja? Restam o PSD (Partido Social Democrata e o CDS-PP (Centro Democrático e Social – Partido Popular), os únicos com alguma representatividade popular e não afectados pelo Socialismo Materialista (onde se acoitam quase todas as Sociedades secretas) e pelo Comunismo. São perfeitos, segundo a doutrina religiosa e social da Igreja? A Igreja não propõe nenhum Partido aos seus membros, mas espera que eles estejam suficientemente esclarecidos para não votarem a favor dos seus (dela) inimigos. Não há partidos com certificados de garantia concedidos pela Igreja, mas há uns que são menos agressivos e menos perigosos, sob o ponto de vista dos valores cristãos, pois ainda defendem os valores morais essenciais e não estão de todo moralmente corrompidos.

.

O que distingue os Partidos?

Tirando aos Partidos as ideologias pelas quais se regem, o que os distingue? Todos dizem que querem o bem-estar social, melhores hospitais, melhor sistema de Saúde, mais segurança, melhores condições de trabalho, mais emprego, aumentos salariais, melhor justiça, melhor Educação, melhor controle da inflacção, melhor nível de vida,…etc. Não se ouve a nenhum dizer que se rege por uma política de respeito pelos valores cristãos Os que parecem respeitar minimamente esses valores são o PSD, o CDS e o Partido da Nova Democracia ( PND)), de nascimento recente, mas não o propagam suficientemente alto para se poder ouvir…Terão medo de serem atacados pelos outros e considerados partidos antiquados, capitalistas, salazarentos, fascistas, partidos que pararam no tempo…? Penso que esse medo existe neles realmente e que sofrem de um complexo nesse capítulo. Podem ser difamados e caluniados com todos os palavrões que os adversários políticos fazem chover sobre eles, mas levam uma vantagem: Não são socialistas, comunistas, nazis e, por isso, não estão condenados pelos vários Papas e nem os católicos que votam neles ficam excomungados. Por ocasião das primeiras eleições após o 25 de Abril, o Arcebispo de Braga, D. Francisco Maria da Silva, disse na sua Catedral que o CDS era o único Partido que não tinha nada contra a doutrina da Igreja. Talvez por isso, os comunistas tentaram destruí-lo pela calúnia e por atentados contra as suas sedes, estando constantemente a receber dos comunistas as acusações de “fascista”, salazarista”,  Direita retrógrada, partido reaccionário, partido do capitalismo,  etc. Eles lá sabem porquê! Contra o PSD tenho a apontar o facto de alguns dos seus deputados terem alinhado com os socialistas e os comunistas na aprovação das leis que hoje envergonham e revoltam os cristãos que se prezam de amar a Deus, a Igreja e as suas Leis. O Partido não impôs disciplina de voto e esses deputados engordaram os votos dos socialistas e comunistas.

.

A voz dos Papas sobre o Socialismo e o Comunismo.

1. Leão XIII – “O Socialismo…peste proveniente de miasmas” (Quond apostolici muneris), 1878.

. Aos bispos de todo o mundo: “Tomai o máximo cuidado para que  os filhos da Igreja Católica não dêem o seu nome nem façam favor  algum a essa detestável seita”.

. 1881 –  Encíclica Diuturnum – Condena novamente os três grandes      perigos do século. “Eles se chamam comunismo, socialismo,  niilismo (Rejeição de toda e qualquer autoridade e a crença de que       nada vale a pena), os tremendos monstros da sociedade moderna,  cujos funerais representam”.

.Encíclica Libertas – Condena os socialistas, “ que tão  porfiadamente maquinam para abalar o alicerce das nações”.

.1891 – Encíclica Rerum Novarum –  condena de uma maneira  sistemática o Socialismo e as suas expressões políticas (Comunismo).

2.   Pio XI –  Encíclicas  Quadragesimo Anno e Divini Redemptoris – Condena os dois ramos do Socialismo : o comunista e o socialismo moderado. Previne que eles não se contentam com pregar a justiça social, mas “ suavisam, de algum modo, a luta de classes ou a abolição da propriedade….Socialismo religioso, socialismo cristão, são termos contraditórios; ninguém ao mesmo tempo pode ser bom católico e socialista verdadeiro”…”O Comunismo é o herdeiro do Socialismo…o Comunismo é intrinsecamente perverso (mau em seu âmago, mau por natureza)…,luta contra tudo o que é divino…, monstro da sociedade civil, doutrina de natureza ímpia e injusta que pretende uma humanidade sem Deus”.

. Condenando o Comunismo como inimigo da Humanidade, alerta os    católicos contra as hábeis manobras das organizações   internacionais do comunismo, referindo-se a “ uma propaganda    verdadeiramente diabólica, como o mundo jamais conheceu outra”.

3.     Pio XII , em 1941, cinquentenário da Rerum Novarum, confirma tudo o que nela consta para condenar o Socialismo e o Comunismo.  A propósito do  seu “Decretum Contra Comunismum”, seguem quatro perguntas e quatro respostas sobre o assunto.

.

Decreto do Santo Oficio de 1949

1.  É lícito dar o nome ou prestar favor aos partidos comunistas?

R/ Não.

2.     Acaso é lícito publicar, propagar ou ler livros, diários ou folhas que defendam a acção ou a doutrina dos comunistas ou escrever nelas?

R/ Não.

3. Os cristãos que realizarem conscientemente e livremente as acções conforme os números 1 e 2 podem ser admitidos aos sacramentos?

R/ Não! (excomunhão).

4.  Os fiéis de Cristo que declaram abertamente a doutrina materialista e anticristã dos comunistas e principalmente a defenderem ou a propagarem, caem “ipso facto” em excomunhão reservada à Sé Apostólica?

R/ Sim.

Conclui-se que, se o leitor é católico e se preza disso, não pode (não deve) dar o seu voto a partidos socialistas ou comunistas. Não se fie no palavreado oco  dos inimigos de Deus, nem dos seus chavões a querer convencer que quem é moderno, progressista, avançado,…vota no comunismo ou no socialismo, na Esquerda, como eles dizem. O que está em jogo e é deveras importante não é se este ou aquele partido constrói mais uma ponte, um TGV, um aeroporto… O que está em jogo é: Votar ou não votar contra as Leis de Deus e a sua Igreja. A propósito: sabe o que é que eles querem dizer quando advogam as virtudes da Esquerda e condenam os Partidos da Direita? Em resumo: Esquerda é uma palavra que se aplica ao  Comunismo e ao Socialismo. Direita aplica-se aos partidos que não são socialistas nem comunistas, aplicando-se também às pessoas que simpatizam com esses partidos os mesmos termos. Entre os partidos da Esquerda, apenas  o Partido Socialista é democrático. Os outros são comunistas e não são democráticos ao estilo ocidental. Para eles (comunistas), democrático significa: O Partido Comunista governa o país sozinho e para sempre, em nome do Povo, mas este Povo nunca foi, nunca é , nunca será chamado para eleições livres, porque, segundo a ideologia comunista, o Partido é iluminado e sabe melhor o que convém ao Povo do que o próprio Povo, por isso, para quê eleições? Em regimes comunistas não há eleições, mas nos países ocidentais ( não comunistas), não há um único comunista que se abstenha de votar no seu partido comunista ou que vote contra ele. Eles são absolutamente fiéis ao Partido, infinitamente mais coerentes do que os Católicos, que têm muito a aprender com eles. Eles não ficam  em casa nos dias de eleições, enquanto 1/3 dos católicos votantes se desinteressa, com o argumento de que os partidos são todos iguais.

.

Agora que podem e devem votar, abstêm-se, mas se um dia caírem sob um regime comunista,…adeus eleições! É isto que se chama a Ditadura do Proletariado, quando um Partido Comunista sobe ao poder, ficando essa nação a chamar-se  (=República Popular de…, República Democrática de…). Quem vota neles é nisto que vota. Se conhece um pouco da História do Comunismo na União Soviética e na Europa central, na República Popular da China, na República Democrática da Coreia do Norte, na República Democrática do Vietnam do Norte, na República Democrática de Cuba, na República Democrática da Alemanha (DDR) e nas outras nações europeias   que caíram sob o domínio do comunismo após a 2ª Guerra Mundial, sabe que em nenhuma o Comunismo saiu de eleições, mas foi imposto pela União Soviética, o que fora anunciado por Nossa Senhora em Fátima, caso a Humanidade não se convertesse à Lei de Deus. Tire então as conclusões e saiba a quem entrega o voto. Se não for suficiente, leia o Prémio Nobel da Literatura, o escritor russo Alexandre Soljenitzine, com o seu “Arquipélago de Gulag”. Verá ainda melhor no que vota. Vota em algo que envergonha o género humano, que envergonha o século XX, pela crueldade, fanatismo, desrespeito pela vida humana, fuzilamentos injustos e por motivos ridículos, polícia secreta por todo o lado, tortura de prisioneiros até eles confessarem os crimes que já estavam escritos, assim como a sentença, antes de qualquer julgamento, a perseguição religiosa e política, os campos de concentração onde se trabalhava até morrer de modo miserável, ao frio, à fome, à doença, sem a mínima possibilidade de assistência religiosa. Quem vota neles é nisto que vota e em muito mais, de que eles não falam. Se os Papas condenaram estas ideologias é porque as conheciam bem e tinham razões para isso.  Nesta Terra ninguém lhe pedirá contas dos votos que entregar ao Socialismo e ao Comunismo,  mas na outra vida Alguém lhas pode pedir…porque pode morrer excomungado, pois a excomunhão é automática para quem votar neles conscientemente e só a Santa Sé lha pode levantar. A maior parte das pessoas ignora estas coisas, a começar pelos adeptos dos partidos ditos socialistas e comunistas e alguns haverá que serão bem intencionados e longe  de imaginar o que está por trás…e por baixo. Estes partidos pregam o Socialismo, mas eles próprios dizem que isso nunca será possível alcançar, pois é uma meta inatingível, julgando-se eles  felizes se “tenderem para o Socialismo”, como eles dizem.

Porquê então votar em partidos que propõem coisas em que nem eles acreditam? O Socialismo só é possível em rebanhos de animais, onde todos têm as mesmas oportunidades e obedecem cegamente  a um único pastor, com o apoio precioso de um cão intimidante, nenhum deles perguntando ao rebanho qual é a sua opinião, que não interessa para nada. Os votantes podem ser induzidos a votar neles devido ao facto de eles proporem reformas, esquemas, alterações, novos caminhos,…com vista a uma Economia que só eles serão capazes de pôr sobre rodas. Mas não esqueça que foi exactamente por causa da  Economia e por causa da Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria que  o Sistema Comunista na poderosa União Soviética se afundou. Num país comunista interessa mais o culto da ideologia do que a dignidade da pessoa humana. Temos hoje o exemplo da Coreia do Norte, com uma população a morrer à fome, mas com um Governo a fabricar mísseis e armas atómicas. Num regime comunista um homem só vale pelo que produz, tal e qual como um vulgar animal doméstico, que tem de trabalhar sem protestar. Protestar, num regime comunista, é adquirir o bilhete para a prisão, para trabalhos forçados, para o fuzilamento, com o argumento, sempre disponível, de que é um sabotador da Economia ou um traidor do Povo, do Partido, do Socialismo… Greves num país comunista? Nem pensar! No entanto, são os partidos comunistas que desencadeiam a maior parte das greves no mundo não comunista, porque alimentam um ódio figadal a tudo o que seja patrões. O 25 de Abril mostrou como é verdade tudo isto, com consequências que ainda hoje perduram, embora não se fale nisso.

Estas ideologias não acreditam em nada que cheire a espiritual, sobrenatural, sagrado. Deus, religião, Igreja, alma, oração, vida pós-morte, inferno, paraíso,… não lhes dizem nada e acreditam que essas crenças só prejudicam o povo e impedem-no de interiorizar o ateísmo activo e as ideologias socialistas comunistas escritas e propagadas por todos os meios e em todo o lado. Isto é o que o espera se alguma vez viver sob um regime comunista. Aí vai também saber que da liberdade não lhe ficará mais que a saudade.

Já agora, para dar um contributo para a sua cultura política, aqui vão algumas diferenças entre Esquerda e Direita, aplicadas a partidos e pessoas:

Esquerda, ser de Esquerda, votar Esquerda

1.     É acreditar que os homens são naturalmente bons e se cometem crimes é porque a Sociedade os estragou, por isso é preciso controlar a Sociedade, abolir as classes sociais, anular as diferenças entre ricos e pobres, permitir até que os trabalhadores destruam as empresas que não sejam controladas pelo Estado, porque os patrões não são vistos como promotores de empregos mas como odiados capitalistas que vivem e enriquecem à custa dos trabalhadores.

2.      É querer que o Estado controle os meios de produção, que os patrões nunca despeçam ninguém, mesmo aqueles que são incompetentes, manhosos, preguiçosos e até sabotadores.

3.     É defender e aprovar leis que apenas são severas quando se trata de atacar a Igreja e os seus valores. Fora disso, o que se vê são leis brandas para a corrupção, para o crime violento e económico, para as vítimas de injustiça, para a Justiça dos Tribunais, que normalmente não funciona ou só funciona para os fracos, pobres e indefesos.

4.     É fazer da Igreja Católica o seu principal inimigo, atacando tudo o que ela é e tudo o que ela faz, não olhando a meios para a manietar e a travar na sua actividade em favor dos povos em geral e das pessoas em particular. Eles (os da Esquerda) sabem que, silenciando e paralisando a Igreja, têm o caminho livre para impor todos os tipos de ditaduras. A Igreja é para eles (comunistas e socialistas) uma pedra no sapato, que os magoa, que lhes lembra o que eles querem esquecer, porque Ela desmascara a sua ideologia e a sua falta de respeito pelos direitos humanos, entre os quais o direito da nascer, o direito à liberdade de imprensa, o direito à liberdade religiosa, o direito de associação e expressão, o direito de se viver no respeito pelas Leis de Deus, que a Igreja propõe, promove e defende.

5.     Na Esquerda temos a Esquerda moderada e democrática (PS) e a Esquerda radical, não democrática (ou democrática à sua maneira…),onde encaixam o PCP, a CDU, o BE, os Verdes, o Partido Socialista Operário e outros. As suas ideologias assentam na falta de  eleições livres, na conquista do poder pela revolução violenta e a qualquer preço, dada a dificuldade em chegarem lá por eleições livres. Quando chegam ao poder eliminam a liberdade  civil e a liberdade religiosa, fecham os conventos, os seminários e as igrejas, proíbem o hábito religioso, as procissões públicas, etc.

6.     Além da subversão de tudo o que cheira a Deus, Cristianismo ou Igreja,  não nutrem simpatia pelos valores que fizeram a grandeza do nosso país (reis, missionários, santos, pessoas importantes da Igreja, escritores e políticos católicos etc., mas orgulham-se muito de outras coisas que eles consideram altos valores: o ateísmo, os políticos e escritores  republicanos, comunistas e maçónicos, os perseguidores da Igreja, cujos nomes eles perpetuaram em estátuas, ruas, praças, escolas, …Tudo o que lhes cheire a nacional lhes causa alergia e tudo o que lhes cheire a socialismo ou comunismo internacional lhes surge revestido de glória e esplendor.

7.     Na Economia caracterizam-se por dificultarem e limitarem a iniciativa privada, metendo o Estado em todo o lado, por tudo e por nada, dificultando a vida aos que se revelam capazes de singrar por seus méritos.

8.     Na Educação pretendem nivelar tudo e todos por baixo, impedindo que alguém se saliente por entre o rebanho de cabeças iguais. Basta ver o que fizeram logo após o 25 de Abril. Acabaram com os Liceus, que davam acesso às Universidades com currículos próprios, acabaram com as Escolas Industriais e Comerciais, que davam acesso às Universidades Técnicas, e meteram tudo em “Escolas Secundárias”, porque, segundo eles, os Liceus eram para filhos de pais burgueses, sendo por isso necessário mudar-lhes os nomes e os padroeiros. Resultado: o país ficou com muitos doutores, mas sem o número necessário de electricistas, mecânicos, secretárias, gestores, contabilistas, canalizadores, pintores, costureiras, serralheiros, soldadores, bibliotecários, etc, etc., tudo porque socializar é transformar em rebanho desqualificado. Acabaram também com os “Quadros de Honra” que premiava os melhores alunos dos Liceus, porque num rebanho ninguém pode sobressair…Tudo isto aconteceu com Mário   Sottomayor  Cardia ( 1941-2006), Ministro da Educação de Mário Soares, então  Primeiro Ministro. Só recentemente acordaram deste erro e tentam agora remediá-lo, porque chegaram à conclusão que nem todos podem ser doutores e é preciso criar oportunidades para aqueles que não têm posses ou capacidades intelectuais para o serem. Muito do desemprego que temos hoje já tem raízes nesta política de tentar  socializar tudo e todos. Agora, para fazer esquecer aqueles tempos e aquelas medidas cegas e imprudentes que fecharam o acesso a Cursos profissionais, levantam a bandeira das novas oportunidades como um dos grandes méritos da inteligência do governo socialista. As Escolas Comerciais e Industriais, vindas do tempo de Salazar, já cumpriam essa missão, lançando no mercado do trabalho, com menos custos, os jovens devidamente habilitados, pois forneciam cursos práticos e tinham currículos adaptados a esse fim. Essas escolas ainda hoje fazem falta em todo o lado. Pagou-se o preço do socialismo na Educação.

.

Direita, ser de Direita, votar Direita

O que caracteriza a Esquerda não caracteriza a Direita, por isso não vou escrever muito, referindo apenas os aspectos principais.

1. À semelhança da Esquerda, também pode haver Direita Democrática e Direita Radical, extremista, semelhante àquela que existia na Alemanha no governo de Hitler, cuja ideologia causou a 2ª Guerra Mundial, o Nazismo, a que os comunistas chamam de Fascismo, da palavra italiana” fascio”, feixe, símbolo do Partido de Mussolini, que praticava uma política semelhante à de Hitler. Nazismo é uma palavra abreviada composta por duas sílabas  do nome do partido de Hitler: Nationalsozialistische Partei. Em Portugal incluem-se na Direita ou Centro Direita democráticas alguns sectores do PSD, o CDS-PP, o Partido Monárquico(PPM), o Partido da Nova Democracia, o Partido Renovador, o Partido do Atlântico (Açoreano), não se conhecendo nenhuma organização legal aprovada que possa ser incluída na Direita Radical ou Extrema Direita.

2. Os valores da Direita Democrática são: o respeito pelos valores cristãos, pelos valores e história nacionais, pelos personagens importantes, quer religiosos, sociais, intelectuais ou políticos. Respeita a liberdade religiosa, a liberdade de expressão e associação, não combate a Igreja, mas colabora com ela na promoção e bem-estar das pessoas, não fazendo normalmente grandes promessas eleitorais, mas fazendo o que se pode à medida que se pode e na medida em que se pode, sem demagogia nem verniz para dar brilho…

3 . Na Economia defende a iniciativa privada, premeia os melhores, não promove grandes obras se não forem necessárias, não metendo o Estado a controlar tudo e todos, mas deixando que os privados se mexam no desenvolvimento do país. A Direita actua segundo as regras em que assenta a Doutrina Económica do Liberalismo fazer e deixar fazer, cabendo ao Estado impedir ou corrigir os excessos que provoquem desequilíbrios.

4. A Direita Democrática não assenta em nenhuma ideologia que retire ao homem a sua dignidade de pessoa e de cidadão. Respeita também o que o país herdou de bom de Salazar e do seu Estado Novo, nomeadamente o “Deus, Pátria e Família”, trilogia que a Esquerda tem varrido e continuará a varrer até nada restar, porque fica engasgada e incapaz de pronunciar tais palavras…E quando as pronuncia é sempre para atacar e ridicularizar aqueles que ainda acreditam em Deus, na Pátria e na Família como instituição divina, base das sociedades, fonte do equilíbrio do homem, da mulher e da criança, que é preciso defender a todo o custo. Nos planos de Deus todo o ser humano deve nascer numa família constituída por homem e mulher.

5. É muito menos barulhenta que a Esquerda, mais realista na análise política e económica, porque não assenta em miragens socialistas impossíveis de alcançar, sendo ainda menos reivindicativa de regalias para os trabalhadores e asfixia para os patrões. Também me parece  que é menos corrupta que a Esquerda, porque o respeito pelos valores cristãos ainda estão presentes em muitos daqueles que actuam ou votam na Direita.

Com votos de votos esclarecidos em todas as Eleições!

.

Ezequiel Miguel

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: