O Pecado do Rei Acazias (2 Rs 1)

EliasA Bíblia é um conjunto de livros que contém a história do Povo de Israel, a sua religião, os seus costumes, as suas leis, as suas tradições e também a história da intervenção directa de Deus na História da Salvação, através da sua própria Revelação aos homens, primeiro através dos Patriarcas, dos profetas, dos Juízes, dos Reis e finalmente através de Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem para viver entre os homens e redimi-los.

Como qualquer história de qualquer povo, também a história de Israel abunda em violência, guerras, batalhas, morticínios, cercos, fomes, exílios, vitórias, derrotas, santos e  pecadores, exemplos de virtudes e exemplos de pecados, mulheres pecadoras e mulheres que deixaram marca na história, algumas delas instrumentos divinos para grandes missões e outras para missões bem definidas. Mas não é de grandes personagens bíblicos que aqui vamos falar, ou pelo menos de grandes no sentido de terem primado pelos valores morais de que estavam destinados a darem exemplo. Grandeza e miséria estiveram unidas na vida de gente importante, cujos nomes nos surgem pela frente quando nos debruçamos a ler a Bíblia. Por vezes, de grandes pecados Deus tirou grandeza, arrependimento, santidade e personagens que de algum modo compensaram com o Bem o Mal que antes havia sido feito. De entre os pecadores  saliento o Juiz Sansão e os reis Saúl, David, Salomão, Acab, Ocozias, … tendo todos em comum o facto de os seus pecados terem ficado relatados na Bíblia, para vergonha deles e para exemplos a meditar pelos que vieram e virão depois deles, incluindo nós.

Vamos tratar do pecado do rei Ocozias, que pode ler no primeiro capítulo do segundo livro dos Reis e que é muito semelhante ao pecado do rei Saúl, contado no primeiro livro de Samuel (1 Sam 28 e 1 Sam 31) .Vou resumir o episódio referente a Acazias, rei de Israel, de que fazia parte a  Samaria.

Acazias ( = Ocozias),filho de Acab, Rei de Israel, acabara, por morte do pai, de ocupar o seu trono como Rei de Israel. O rei de Moab, tentando tirar proveito da mudança, decretou guerra a Acazias, o  qual, em consequência de uma queda da janela do seu quarto para a rua, caiu de cama, o que o deixou bastante apreensivo quanto à sua recuperação e ao desfecho das hostilidades contra o rei de Moab. Foi então que “enviou mensageiros, dizendo-lhes: ide consultar Baal Zebul, deus de Acaron, para saber se ficarei curado deste mal”(2Rs 1,2).

Pelo caminho, os mensageiros encontraram o profeta Elias, que os aconselhou a voltar para trás e com um recado para Acazias, que estranhou o seu regresso tão cedo, pois, pelos seus cálculos, ainda não teriam tido tempo de consultar o deus Baal. Embora estes mensageiros não tivessem identificado o profeta, Acazias facilmente o reconheceu a partir da descrição do seu aspecto e do vestuário. Ouviu então o recado do profeta Elias : “Porventura não há um Deus em Israel, para ires consultar Baal Zebul, deus de Acaron? Por isso, assim diz Iahweh, não descerás do leito para o qual subiste, pois morrerás”(2Rs 1, 3-4).

Perante esta sentença de morte, Acazias enviou cinquenta mensageiros, com o seu comandante, à procura de Elias, que costumava residir na zona do Monte Carmelo, a fim de o trazerem à sua presença. Era uma ordem real. Encontraram-no lá no alto do monte e transmitiram-lhe a ordem do Rei: “Homem de Deus, o rei ordenou: desce!”  Elias respondeu e disse ao chefe dos cinquenta: “Se eu sou um homem de Deus, que desça fogo do céu e te devore a ti e aos teus cinquenta. E um fogo desceu do céu e os devorou, a ele e aos cinquenta”(2 Rs 1,9-10).

O rei enviou uma segunda delegação ao profeta Elias, ordenando-lhe a mesma coisa: Que descesse rapidamente e viesse até ele. Também este grupo de cinquenta e o seu chefe tiveram a mesma sorte dos da primeira delegação. O rei enviou uma terceira delegação, mas o comportamento do seu chefe foi algo diferente do dos anteriores: “Esse terceiro chefe dobrou os joelhos diante de Elias e suplicou assim:”Ó homem de Deus, que tenham algum valor a teus olhos a minha vida e a destes teus cinquenta servos…” (2Rs 1, 13)

Obedecendo à ordem de um Anjo do Senhor, Elias desceu do monte com eles e acompanhou-os até ao rei, mas a sentença estava dada e era irreversível: “ Ele se levantou, desceu com ele (o chefe) e foi ter com o rei, a quem disse: Assim fala Iahweh. Por teres enviado mensageiros para consultar Baal Zebul, deus de Acaron, não descerás do leito para o qual subiste, mas com certeza morrerás”. E ele morreu, conforme a palavra de Iahweh  pronunciada por Elias.(2Rs 1,15-17).

Considerações:

 O que há de errado, aos olhos de Deus, no comportamento e nas atitudes do rei Acazias?

  1. Pecou contra o 1º Mandamento: “Amarás o Senhor teu Deus  acima de tudo e de todos”, o qual proíbe todas as actividades relacionadas com o espiritismo nas suas múltiplas e variadas facetas: a idolatria, as bruxarias, as feitiçarias, as adivinhações, as consultas de mediums, de astrólogos, de tarots, de bolas de cristal, de cartas, uso de pêndulos, de objectos com carga supersticiosa, como ferraduras, amuletos, chifres, roupas e pinturas satânicas…e tudo o que envolva satanismo, a tentativa de entrar em contacto com espíritos (almas ou demónios), etc, etc., não esquecendo cultos satânicos, magia negra, música Heavy Metal, Hard Rock, sociedades secretas, canções com letras louvando Satanás e os agentes do Mal, tatuagens, etc. Em tudo isto está Satanás.
  2. Enviou mensageiros a consultar um(a) medium (necromante), que por sua vez agia sob o poder do demónio, para conhecer o seu futuro. Não era uma estátua do deus Baal que falava, mas o demónio, que fingia falar por ela… Infringiu de modo radical uma proibição expressa na Lei do Senhor.
  3. Ao ordenar ao profeta Elias que viesse até ele, em vez de  pedir humildemente a sua intervenção junto de Deus para recuperar a saúde, queria que ele lhe dissesse se se curaria ou não, o que não deixava de ser a utilização de Elias para conhecer o futuro e tirar proveito dele.
  4. Em vez de tirar as conclusões após a morte de todos os mensageiros da 1ª delegação enviada a Elias, Acazias enviou uma segunda, com as mesmas intenções, acabando por ser responsável pela morte de cento e duas pessoas e arriscando a vida de mais cinquenta uma.
  5. Acazias sabia, tal como o rei Saúl, que consultar pessoas envolvidas no espiritismo implicava uma pena de morte, por isso, o profeta Elias não fez mais que cumprir as instruções divinas quando pediu que caísse sobre os enviados o fogo destruidor e sobre o rei a morte profetizada. Não consta se se arrependeu ou não, antes de morrer.
  6. Ao tentar consultar um demónio (deus Baal) para conhecer o seu futuro, Acazias ofendeu gravemente o Deus de Israel, o único Deus verdadeiro, numa prova inequívoca de idolatria. Trocar Deus por um demónio,…é o rebaixamento supremo a que se pode sujeitar o Deus verdadeiro.
  7. Este exemplo e outros também servem para desfazer certos argumentos modernos de que Deus não castiga, porque é Pai, porque nós somos Seus filhos, porque Ele é todo Amor, etc., etc., argumentos utilizados para se continuar indefinidamente no pecado, em situações irregulares e pecaminosas, em oposição aos Mandamentos divinos, etc. Há na Bíblia muitos exemplos a provar que Deus castiga, embora isso custe a aceitar. Muitos preferem dizer que Deus envia correctivos e não castigos…É apenas um jogo de palavras para significar a mesma coisa. Quem tiver dúvidas, leia na Bíblia como foi e como terminou a vida  de alguns reis de Israel e porquê..
  8. Os Acazias dos nossos tempos –  Vêmo-los por aí em anúncios de bruxas, videntes, necromantes, centros de recuperação espiritual (centros de espiritismo), mediums, curandeiros, seitas para todos os gostos, magia negra, cultos satânicos , ideologias, filosofias e práticas pagãs, etc.  A maldição sobre quem pratica estas coisas continua válida, afectando-os não só a eles mas também às suas famílias e bens. Dificilmente alguém que se enfronhe em algo relacionado com Satanás se salvará, porque aquilo que começou mais ou menos inocentemente, acaba por resultar numa dependência de que só por milagre se sairá. É disso que dão conta os padres exorcistas.
  9. Estas práticas estão hoje muito divulgadas entre as nações ocidentais, tanto mais divulgadas quanto menos se pratica a religião e quanto mais os governantes fizeram leis a permitir o afundamento dos valores cristãos, num caminho largo para o paganismo. Convém lembrar que Satanás é o rei de todos os tipos de paganismo. Queixamo-nos de crises, de tragédias, de corrupção política , monetária e financeira, de violência, de crimes, de assaltos, de violações, de pedofilia, de assassínios, de pobreza da população?  Será que os países afectados por estes males merecem melhor? O que fazem para merecerem a protecção divina? Nada, antes pelo contrário, fazem tudo o que ofende Deus e as Suas Leis imutáveis. Isso também tem um preço, que é e será pago por todos.

.

 Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados

. Jesus em casa da viúva de Naím

. O espiritismo

. D. Chica vai à bruxa

. O pecado do Rei Saúl

. O sobrenatural e o oculto

 

 

Anúncios

8 comentários (+add yours?)

  1. Trackback: O pecado do Rei David « Deus, Bíblia e Poesia
  2. Trackback: O rei David e Betsabé – II | Deus, Bíblia e Poesia
  3. marcus vinicius
    Jun 30, 2013 @ 12:20:29

    Quero saber a genealogia de acazias ,a muito bom esse sit

  4. ezequiel Miguel
    Jul 01, 2013 @ 08:04:40

    Se ainda não tem em casa uma Bíblia Católica, chegou a hora de adquirir uma e ler 1 Reis e 2 Reis, onde terá a resposta ao seu pedido.

  5. ezequiel Miguel
    Jul 01, 2013 @ 08:50:49

    Como (re)conhecer uma Bíblia católica? 1º- Ter aprovação de um bispo católico; 2º – Ter notas explicativas no rodapé; 3º – Ter escrito, logo no princípio: “Nihil obstat” (Nada contra); 4º – Ter escrito: “Imprimatur” ou “Imprimi potest” (Pode imprimir-se). Saiba que algumas bíblias não católicas são nitidamente heréticas e a outras foram suprimidos alguns livros. As Bíblias católicas mais comuns são as da Difusora Bíblica (dos Capuchinhos). É dessas que lhe recomendo.

  6. Trackback: Testemunho de Glória Polo – II | Deus, Bíblia e Poesia
  7. Trackback: Vai e não peques mais! | Deus, Bíblia e Poesia
  8. Trackback: Jesus visita o Mar Morto | Deus, Bíblia e Poesia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: