Publicado por: Administrador | Abril 26, 2015

Jesus e o falso paralítico

(Realidade & ficção)

Personagens: Jesus, fariseus, falso paralítico

.

Hospital26_1Jesus tornara-se um quebra-cabeças para as autoridades religiosas dos Judeus, obrigando o Sinédrio a reunir frequentemente para debater as palavras, as atitudes e os comportamento de Cristo.

Mas, como toda a discussão terminava sem resultados práticos, angariavam-se cada vez mais espiões para darem notícias daquilo que Jesus dizia, fazia e por onde andava. Eram, normalmente, os chefes das sinagogas que davam as informações, mas também havia comissões (pequenos grupos), encarregados de  armar ciladas a Cristo, para O levarem a contradizer-se, a atacar a Lei de Moisés e os Romanos, que ocupavam o país. O objectivo principal era desacreditá-lo perante as multidões ou torná-lo inimigo de César, prestando assim um serviço ao Governador Pôncio Pilatos, que depressa O meteria na prisão e o condenaria à morte por fomentar revoltas populares. Aliás, já vários falsos messias tinham pago com a vida tais atrevimentos.

Na impossibilidade de apanharem Cristo em hostilidade contra os Romanos, o Sinédrio optara também por apanhá-lo em pecado, pagando e enviando prostitutas, que, por via de regra, acabavam convertidas, quer pela argumentação quer pelo olhar penetrante e luminoso de Cristo, que tudo viam. Um terceiro ponto em que os fariseus e outros atacavam dizia respeito aos milagres que Jesus fazia por todo o lado, curando todo o tipo de doenças, assim como à expulsão de demónios que massacravam os possessos.

Quanto aos milagres de curas e à expulsão dos demónios, os fariseus, saduceus, doutores da Lei e sacerdotes depressa abafaram a consciência, acusando Cristo de fazer tudo aquilo por obre e graça de Belzebú, um dos mais poderosos demónios, esquecendo que dos demónios, seja ele qual for, não pode vir coisa boa. Era assim, é assim e será sempre assim! E se alguma coisa vinda deles parece boa, tem a finalidade de enganar e de preparar algo mau que virá depois.

Então, se nada vinha de Cristo que pudesse incriminá-LO, tornava-se imperioso armar-Lhe ciladas. Para isso, era preciso pôr a imaginação a funcionar e arquitectar os necessários planos.

E foi assim que, em certa aldeia, antes da pregação, Jesus ia curando os doentes e os possessos. Em dado momento foram colocados à sua frente dois paralíticos, transportados em padiolas:

1º Fariseu – Mestre, trazemos-te aqui dois doentes paralíticos, para que os cures.

Jesus – E vós acreditais que Eu tenho poder para os curar? Já me vistes curar muitos, mas, mesmo assim, não acreditais em Mim! Porque trazeis estes?

2º Fariseu – Então, se já curaste muitos, cura também estes. Já vimos que tens esse poder, mas não sabemos de onde ele te vem!

Jesus – De onde veio ao profeta Elias o poder de ressuscitar o filho da viúva de Sarepta? De onde veio a Moisés o poder de separar as águas na travessia do Mar Vermelho?

3º Fariseu – Veio de Yahweh!

Jesus – E o Meu não sabeis de onde vem ? É estranho! Pois, digo-vos. Vem de Mim mesmo, como Filho de Deus que sou e como o Messias verdadeiro que sou!

1º Fariseu – Pois, mas isso a nós agora pouco interessa. Se tens esse poder, mostra-o agora, curando estes doentes que te apresentamos aqui! Tem pena deles e das suas famílias, que sofrem muito.

Jesus – Pois vou mesmo mostrar-vos o Meu poder, como já mostrei em muitas outas ocasiões. (Dirigindo-se ao primeiro paralítico): Acreditas que eu posso curar-te?

1º Paralítico – Acredito, Senhor!

Jesus – Então, levanta-te, vai para tua casa e não peques mais! (Dirigindo-se aos apóstolos): Vamos agora pregar à multidão!

2º fariseu- O quê?! Não curas este paralítico? Que mal te fez ele, para não o curares? Não tens pena dele e da sua família? É assim que pregas o amor ao próximo? Será que temos de te oferecer dinheiro para o curares? Já viste que te vamos acusar de seres injusto e discriminador? Já curaste tantos e deixas este sem nos explicares os motivos?

Jesus – Mas vós conheceis os motivos!…

3º Fariseu – É claro que não conhecemos! Quem sabe porque é que um paralítico é paralítico? Só Deus sabe!

Jesus – Vós dizeis então que ele é paralítico! E o vosso paralítico sabe porque é paralítico?

1º Fariseu – Claro que sabe que é paralítico, mas não sabe porquê! Ninguém sabe! Só Yahweh!

Jesus – Nem meu Pai nem Eu sabemos por que motivo ele é paralítico,… porque ele não é paralítico! Vós, fariseus hipócritas, viestes aqui com ele para me armardes uma cilada. (Ao falso paralítico e fixando nele o olhar perscrutador): Que dizes tu, Jovem?

Jovem – (Levantando-se rapidamente e preparando-se para fugir): Senhor, não me castigues! Eles pagaram-me para eu fazer de paralítico. Eu não queria, mas eles insistiram e ameaçaram-me, se não alinhasse! Peço-te perdão, pois me envergonho de ter colaborado com eles.

Jesus – Estás perdoado! E não repitas! Dá graças a Deus, porque dentro de momentos ias mesmo ficar paralítico. Viverias o resto da tua vida paralítico e paralítico morrerias, em expiação do teu pecado. Vai em paz! E não esqueças que Yahweh abomina a mentira e a hipocrisia, punindo severamente quem se entrega a elas.

 .

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados

.O Sinédrio trama ciladas contra Cristo

.Jesus é convidado para Rei de Israel

. Vai e não peques mais!

. Jesus em casa do fariseu Simão

. A moeda na boca do peixe

. Mulher, ninguém te condenou?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Categorias

%d bloggers like this: