Publicado por: Administrador | Março 26, 2017

Agonia de Jesus no Getsémani (Mt 26, 36 – 46)

(Realidade e Ficção)

.

Após a Última Ceia, Jesus dirigiu-se com os Seus Apóstolos para o Getsémani, onde iria desenrolar-se uma das mais terríveis cenas da Sua Paixão, aquela que nós  conhecemos por Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras. Os evangelistas resumem esse episódio a poucas palavras, mas o que Jesus lá sofreu ultrapassa tudo o que a humana imaginação possa abarcar.

Basta dizer que em mais nenhum momento da Sua Paixão Ele solicitou ao Pai que lhe retirasse o Cálice do Sofrimento que estava a beber, apesar de Ele ter abraçado toda a Paixão com alegria, por, finalmente, se ir consumar a Redenção da Humanidade. Para ultrapassar com êxito esse terrível sofrimento, Ele pedira alguma ajuda aos três Apóstolos que estavam com Ele, mas eles passaram o tempo a dormir…Mas, se eles dormiram profundamente todo o tempo que durou a Agonia, lá estavam muitos outros seres bem despertos, que circundavam todo o espaço em redor do Getsémani. Era Satanás e muitos dos seus anjos, que se divertiam e tentavam lançar sobre Jesus o desespero e a renúncia a tal sofrimento.

Jesus – Eis-nos chegados ao Getsémani. Vós  sentai-vos aqui, enquanto Eu vou além orar”. Eu levo comigo Pedro, Tiago e João

João – Mestre, porque vimos só nós para este lugar tão solitário?

Jesus – Porque eu preciso de vós nesta hora. Eu preciso de orar ao Pai e quero que vós reforceis a minha oração. É a ajuda que vos peço. A minha alma está numa tristeza de morte. Eu vou-me afastar um pouco e vós ficai aqui a vigiar e a orar, para não entrardes em tentação, porque estareis rodeados por seres que vão tentar-vos.

Jesus afasta-se, ajoelha-se, levanta os olhos e os braços para o Céu e começa a encher-se de pavor e angústia.

Satanás – Cá estou eu de novo para Te oferecer a minha ajuda. Já não te via desde aquele nosso encontro no deserto, onde eu me  propus ajudar-Te…mas tu recusaste. Agora, aqui estou de novo para te propor que sejas razoável e tenhas bom senso. Para quê todo esse sacrifício por que vais passar? Ninguém to vai agradecer e ainda te chamarão tolo, visionário, utópico, por tentares fazer uma coisa que ninguém faria. A tua angústia e o pavor que te assaltam neste momento são só o começo do que te espera. Trouxeste aqueles três ali em baixo, mas…coitados deles e de ti! Não esperes nada deles, porque uma legião dos meus anjos já estão em volta deles para os porem a dormir em sono profundo e eles nem vão dar por nada. Se esperas ajuda deles, não tenhas ilusões! Tu bem os avisaste, mas nós apanhámo-los antes que eles começassem a orar por ti. Olha para eles, encostados aos troncos das oliveiras! Mal se sentaram, caíram logo em sono profundo. Parecem bebés a dormir um sono profundo depois de bem aleitados.

 Mas o pior para Ti está para vir. Aquilo que vai passar por Ti nunca passou nem passará por ninguém, por isso, serás o Único a vivê-lo e nós os únicos a presenciá-lo. Vês aqui à tua volta cinco legiões prontas a proteger-Te? Decide-Te rápido, porque as ondas do Mal já lá vêm para te submergirem. Não há força que as detenha, pois aquelas águas fétidas já vêm dos tempos de Adão e Eva. É uma força de águas negras, profundas, cheias de todo o lixo dos pecados dos homens. Não vale a pena invocares o Teu Pai, porque Ele abandonou-Te à tua sorte, por isso, ninguém te pode valer, a não ser nós! Foge, que vais ficar submerso, sujo, a cheirar mal, com um cheiro que farás fugir toda a corte celeste. Confia em nós, que podemos levantar-Te acima dessa tremenda enxurrada que conspurca toda a Terra. O que sofreste até aqui já chega para redimires aqueles que se vão salvar e os que estão no Limbo. Aliás, nem precisavas de sofrer coisa alguma. Bastaria que intercedesses junto do Teu Pai e Ele nada poderia recusar-Te. Um pedido Teu e…já estava! Todos os homens ficariam logo redimidos! Não sofras por causa deles, que a maioria deles não aproveitará nada do teu sangue e do teu sofrimento. Mas a onda já se vê cada vez mais perto. Permite que peguemos em Ti de modo que ela não te toque! Nós levantamos-te, para que nada te toque!…Não?…Não queres?… Não sabes o que perdes!…Vais arrepender-Te! Nós bem Te avisamos!…

Pronto, já está. Aí tens! Pareces um verme saído de uma fossa, Tu, a pureza absoluta, a Luz do Universo, o Sol do Paraíso,…estás irreconhecível. Eu bem te avisei, mas Tu és um tolo que desperdiça a ajuda desinteressada que Te oferecemos. Esta era a onda da luxúria, da homossexualidade, da pedofilia, do nudismo, das modas nojentas e provocantes, dos pensamentos obscenos, da linguagem podre, da pornografia, da animalidade, de todo o uso pecaminoso do sexo…E o cheiro? Vejo que Te revolta as entranhas e Te engasgas com essa tosse que Te sufoca. Até a nós custa a aguentar, quanto mais a Ti!…

Não vale a pena limpares-Te, porque já lá vem outra onda, enorme como um oceano…. Aí está, já perto!…É toda vermelha, da cor do sangue, porque ela é mesmo de sangue, de todo o sangue que correu, corre e correrá, desde o sangue de Abel até ao Juízo final. Aquela massa vermelha contém todos os assassínios, os abortos provocados, os mortos pelas guerras…Não deixes que o Teu Sangue precioso se contamine com esta nojeira!…Vejo que não consegues levantar-Te, tal te deixaram estas avalanches que já passaram. Posso ajudar-Te, visto que estás num estado lastimoso, impotente, fraco, desmaiado, ofegante,…falta-Te o ar!… Tremes de frio, todo molhado…Que injustiça de todo o Céu e sobretudo do Teu Pai, que Te castiga assim! Seria preciso tanto? Não bastaria um pedido Teu, uma vez que um pedido Teu tem a força da omnipotência?

Mas, olha! Lá vem outra onda! À primeira vista é cor de rosa, mas, depois da primeira vaga, segue-se um número incalculável de ondas com duas faces, uma cor de rosa e outra negra. É a avalanche também nojenta da mentira, da hipocrisia, das inverdades, das fraudes, dos enganos, das trapaças, do parecer e não ser, do pregar uma coisa e fazer outra, dos falsos profetas, dos burlões e muitos mais! Não os vês a pregarem doutrinas que não são a tua, a deturparem  uma verdade que não é  a tua Verdade, a fazerem troça da tua Igreja, a passarem por santos quando o não são? Não vês os que se confessarão mal, os que comungarão o Teu Corpo em pecado, os que atraiçoarão a fidelidade conjugal, os que acabarão por imitar os habitantes de Sodoma e Gomorra em seu viver diário? Não vês tudo isso? Achas que vale a pena fazer alguma coisa por eles? Somente uns poucos te agradecerão esse sacrifício. E como vão eles agradecer se nem sabem o que isso vale?

Mas, aí vem mais uma, uma muito especial! Prepara-te para enfrentar avalanches de ferros pontiagudos, de facas, de punhais, de pregos, de vidros cortantes,…tudo instrumentos cortantes, usados pelos teus queridos amigos, aqueles que são as meninas dos teus olhos, que irão jurar-te fidelidade, aqueles cujas mãos abençoarás para servir o teu  novo Povo, aqueles que terão escrito na testa “Consagrados ao Senhor”. Olha só o que aí vem de traições e infidelidades aos votos e promessas emitidos! Tu nem queres ver, porque essas ondas vão deixar-te em carne picada. São as traições dos teus amigos, aqueles que tu vais escolher para guias do teu Povo.

Jesus – Paizinho, porque Me abandonaste? Livra-Me deste cálice, se é possível, mas faça-se a Tua vontade e não a minha!

Anjo – Aqui estou, meu Senhor, enviado pelo Pai e a pedido da Tua Santa Mãe, que Te está vendo! Como o Pai, Ela Te consola e pede forças para Ti. Não desanimes, lembra-Te que Te ofereceste ao Pai para esta missão. Trago-Te uma lista daqueles milhões e milhões que aproveitarão o Teu Sangue. Além dos do Limbo, que ansiosamente Te esperam, aí tens todos os nomes daqueles que vivem e viverão de acordo com a doutrina da salvação que pregaste. Em nome deles,  e por causa deles, eu Te trago os agradecimentos do Pai e a coragem necessária. Já falta pouco para se cumprir tudo os que as Escrituras anunciaram a Teu respeito. Eu Te apresento aqui os agradecimentos daqueles que, até ao fim do mundo, irão lavar as suas vestes no Sangue do Cordeiro.

Recompondo-se um pouco, Jesus levantou-se a custo e foi ter com os três discípulos que dormiam profundamente. No Horto soaram as palavras tristes de Jesus: Pedro, Tiago, João, não pudestes vigiar uma hora Comigo? Vigiai e orai, para não cairdes na tentação. O espírito está pronto mas a carne é fraca.

Os discípulos esfregaram os olhos, sentiram o peso da vergonha a fechar-lhes os lábios, de modo que eles nem se abriram para um pedido de desculpas. Mal Jesus virou as costas, o sono voltou a tomar posse deles, enquanto uma alegre e agitada algazarra infernal ecoava em volta do recinto…Jesus voltou para o Seu cantinho, limitado por rochedos e oliveiras, Ele, a Oliveira que produz o óleo santo que irá ungir todos os redimidos, em colaboração com a Outra Oliveira que, não longe dali, se associa a Ele na missão de co-redentora (Zacarias 4 , 1-14).

Novamente de joelhos, braços ao alto e olhar no céu, lá vem novamente a angústia, a ansiedade, a tristeza de morte, em grau e intensidade não imagináveis, a ponto de os seus poros se abrirem para dar saída ao sangue que os capilares já não conseguem reter. Ainda faltam muitas ondas até todo o Mal passar por Ele. Todos os pecados e todos os tipos de pecados devem passar  por Ele. Também  por Ele passaram, durante a Sua Agonia, todos os nossos pecados, que iam engrossando as negras ondas que O submergiram.

.

Do Evangelho:

 Entretanto, Jesus, com os seus discípulos, chegou a um lugar chamado Getsémani e disse-lhes: “Sentai-vos aqui, enquanto eu vou além orar.” E, tendo levado consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: “ A minha alma está numa tristeza de morte, ficai aqui e vigiai comigo!”

E, adiantando-se um pouco mais, caiu com a face por terra, orando e dizendo: “Meu Pai, se é possível, afaste-se de mim este cálice. No entanto, não seja como eu quero, mas como Tu queres!”

Voltando para junto dos discípulos, encontrou-os a dormir e disse a Pedro:” Nem sequer pudeste vigiar uma hora comigo! Vigiai e orai, para não cairdes na tentação. O espírito está pronto, mas a carne é débil.” Afastou-se pela segunda vez e foi orar, dizendo: “Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a Tua vontade!” Depois, voltou e encontrou-os novamente a dormir, pois os seus olhos estavam pesados.

Deixou-os e foi orar de novo, pela terceira vez, repetindo as mesmas palavras. Reunindo-se finalmente aos discípulos, disse-lhes: “Continuai a dormir e a descansar! Já se aproxima a hora e o Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos pecadores. Levantai-vos, vamos! Já se aproxima aquele que me vai entregar.”(Mt 26, 36-46)

.                                                            

 Ezequiel Miguel

Anúncios

Responses

  1. […] . Agonia de Jesus no Getsémani […]

  2. […] . Agonia de Jesus no Getsémani […]

  3. […] . Agonia de Jesus no Getsémani […]

  4. […] . Agonia de Jesus no Getsémani […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Categorias

%d bloggers like this: