Publicado por: Administrador | Fevereiro 18, 2018

O golpe de Judas

(Realidade & Ficção)

 .

Personagens:

. Jesus Cristo

. Judas Iscariotes

 .

Judas24Judas frequentava o Templo de Jerusalém e convivia de perto com os sacerdotes, os escribas e os fariseus, tendo muitas amizades entre eles. Possivelmente, seria um estudante de teologia e um candidato a doutor da Lei. A sua figura imponente, esbelta, ricamente vestida, era de molde a chamar a atenção por onde passava. Tinha fama de se insinuar facilmente junto das donzelas de Israel, às quais prometia união de casamento, mas depois…abandonava-as, para ir recomeçar com outra. Em certas aldeias próximas de Jerusalém já tinha a cabeça a prémio.

Ele não desconhecia as profecias sobre o Messias e, como muitos outros, aguardava os sinais do Sua presença próxima. Mas ele, tal como todas as autoridades religiosas do povo judeu, era também uma vítima das circunstâncias políticas que se tinham abatido sobre Israel, após a invasão e ocupação do território pelo exército romano. Assim, o que se precisava era realmente de um Messias que viesse restaurar a Monarquia e a independência de Israel e o ambiente não era nada favorável para se aceitar um Messias conforme as profecias das Escrituras o apresentavam.

Um dia, Cristo entrou no Templo, fez a Sua pregação, apresentou-se como o Messias e confirmou o Seu poder com uma estrondosa cura. Entre os assistentes estava Judas, que mediu Cristo de alto a baixo, as  Suas palavras, os Seus gestos, o Seu poder e autoridade com que falava e agia. Tinha que ser mais que um profeta, para fazer o que fazia e dizer o que dizia e como o dizia!

A cabeça de Judas começou então a girar, a calcular, a especular, a sonhar…Ele não foi daqueles que atribuiu a Cristo poderes conferidos por Satanás. Ele viu mais longe e não demorou muito a tirar todas as conclusões : Ele era o Messias que vinha para restaurar o Reino de Israel, há muito ocupado pelos Romanos. Judas também já sabia que Cristo andava a escolher discípulos para o acompanharem na Sua missão. Na visão de Judas, estes seriam os futuros ministros do Messias, o futuro Rei de Israel unificado. Ele próprio não poderia ser um deles? Se outros podiam!… E não demorou a gizar um plano para se encontrar com Jesus de um modo discreto, para uma conversa a sós. E encontrou-O, após muitos esforços nesse sentido:

Judas – Salve, Mestre! Encontro-Te, finalmente! Estou farto de andar à Tua procura!

 Jesus – Quem és tu, que tão distintamente te apresentas?

Judas – Sou Judas de Simão, natural de Keriot. Estou no Templo e vivo sonhando com o Rei dos Judeus. Da análise que eu já fiz de Ti, esse Rei és Tu. Aceita-me como Teu discípulo! Penso que ainda vou a tempo de me candidatar, pois vejo-Te rodeado de poucos!

Jesus – Aceitar-te, assim sem mais nem menos? Não! Não pode ser assim! Isso exige estudo, tempo, decisões firmes e inabaláveis, recta intenção, coragem, constância, humildade, …e muito mais!

Judas – Não acreditas que Te peço isso com sinceridade? Eu já pensei muito sobre este passo, por isso, não considero que seja leviandade da minha parte.

Jesus – Judas, Eu vejo em ti apenas impulsos momentâneos que se esvaem como o fumo quando o fogo se apaga. Pensa nisso até Me encontrares de novo! Brevemente poderás encontrar-Me. Nessa altura falaremos!

Passado algum tempo, Judas volta a encontrar Jesus num espaço aberto do Getsémani, num ambiente de oliveiras:

Judas – Salve, Mestre! Sou Judas de Keriot, aquele que Te pediu para o aceitares como Teu discípulo. Não Te lembras?

Jesus – (Nada entusiasmado)  Lembro! Vieste ter comigo há pouco tempo!

Judas – Então, aqui estou eu de novo. Segui a Tua sugestão de pensar, meditar, pesar os prós e os contras…e já decidi. Quero mesmo que me aceites no Teu grupo!

Jesus – E quais os motivos que te levam a querer?

Judas – Eu repito o que disse da outra vez:  Eu vejo em Ti o Rei do futuro Reino de Israel. Nada mais natural que eu queira estar a Teu lado nesta missão de restaurar o Reino de Israel!

Jesus – São então esses os motivos?

Judas – São! E acho que são motivos nobres! Ponho-me ao Teu serviço, juntamente com os meus bens, as minhas capacidades, os meus conhecimentos, amizades, trabalhos, etc.

Jesus – Vejo que és um homem ambicioso, um sonhador, um exaltado…Mas Eu não te procurei, não te chamei nem te convidei!

Judas – Mas eu, pelo contrário, procurei-Te por todo o lado e até recorri a espiões para me informarem do Teu paradeiro.

Jesus – Pensas que terá sido algo de bom para ti encontrar-Me?

Judas – Claro! Se eu Te procurava, foi bom encontrar-Te!

Jesus – E porque Me procuravas?

Judas – Obrigas-me a dizer outra vez? Vejo que não me compreendes!

Jesus – Eu compreendo-te, mas também quero que Me compreendas, antes de Me seguires por todo o lado. Eu devo esclarecer-te que as tuas ideias sobre Mim, o Messias, estão erradas. Eu não vim ao Mundo para cumprir o plano que tens na cabeça, nem coisa que se pareça!

Judas – Mas não és Tu Aquele que as Escrituras apontam como o Rei dos Judeus, Aquele de que falaram os profetas? Tu manifestas todos os sinais do verdadeiro Messias: Falas e ages como Deus, Deus está em Ti e Tu estás em Deus, operas milagres, conheces o passado, o presente e o futuro, és santo! Ora, onde Deus está e actua  há sucesso garantido! Por isso, não sei o que é que receias. Se as Escrituras profetizam tudo a Teu respeito, como é que podes trair a missão que Te foi confiada de libertar o povo da escravidão, como está escrito? É neste sentido que eu quero fazer algo pelo nosso povo, colocando-me a Teu lado no trabalho e na glória que advirá para o povo de Israel.

Jesus – Judas, tu deliras no teu sonho! Advirto-te que aquilo  que Me está reservado não é um bonito sonho, melhor dizendo, é um bonito sonho, mas pelo meio há um tremendo pesadelo. O meu Reino não é deste mundo. O que Eu trago a Israel não é a glória  mundana nem a luz da ciência mundana. Eu venho instaurar uma nova ordem meramente espiritual, fazer de todos os pecadores novos santos e abrir-lhes as portas da Vida Eterna. Neste novo Reino de Paz e Amor, não há lugar para ódios, rancores, vaidades, ambições mundanas, crimes, desonestidades, roubos, divórcios, luxúrias, vinganças, guerras, invejas, acumulação de riquezas, avareza,… A Minha missão é salvar almas, conquistando-as a Satanás, arrancar-lhas através do arrependimento e dos novos meios que Eu venho estabelecer para a Salvação Eterna. Não vim para fundar  ou conquistar reinos mundanos. Que lugar quererás tu no Meu Reino, onde, em vez de glória, prestígio, louvores, recompensas materiais,…te estarão guardadas fome, sede, pobreza, honestidade, santidade, humilhações, perseguições e, no fim, uma injusta sentença de morte por causa do meu Nome? Sendo assim, não tenhas ilusões! Eu não libertarei o Povo do poder de Roma, nem lutarei contra César e se Eu já vim a este mundo sob o domínio de César, também o deixarei sob o seu domínio. Não serei um chefe político e não aceito ninguém imbuído dessas ideias. Por isso, Judas, é melhor ponderar estas coisas, antes de insistires.

Judas – Queres então  dizer  que me rejeitas!

Jesus –  Serei Eu que te rejeito ou serás tu que te rejeitas? É por Amor que te mostro as desvantagens que te circundam. É por Amor que eu digo a alguém que o remédio que vai tomar é veneno mortal. É por Amor que eu digo a um inocente que não tome aquele veneno, que pode destruí-lo, arruinar a sua saúde ou matá-lo.

Judas – Bem! Penso que estás a exagerar! Eu poderei envenenar-me ou arruinar a minha saúde se andar Contigo? Não acredito nessa! Dizes isso para me convenceres a não teimar no pedido que Te faço, porque, está visto, não me queres aceitar. Mas aceitas outros, que já andam Contigo e que são muito inferiores a mim em condição social, cultura, conhecimentos, influência, riqueza. Já contei seis que andam Contigo por todo o lado…Vais buscar pescadores, ladrões, cobradores de impostos, artífices,… todos uns Zés-Ninguém e até um ex-leproso que Tu curaste. Que queres Tu fazer com essa gente? Eu não reunirei melhores créditos do que eles para ser seleccionado? Não sei porque embirras comigo! Nunca Te fiz mal nenhum e só desejo fazer-Te Bem, ajudando-Te na Tua missão de Messias de Israel!

Jesus – Judas, desiste do teu pedido! Tu arruinarás não só a saúde, mas até a vida do corpo e da alma. Tu conviverás com o Santo, mas tornar-te-ás Seu inimigo e, como tal, virás a ser um dos Seus inimigos, um assassino!

Judas – Assassino, eu? Só essa me faria rir! Acaba lá com esses argumentos ocos e admite-me! Se és o Salvador, como confessas que és, não podes rejeitar-me, porque eu também sou pecador e preciso de ser salvo e, se Tu és a Salvação, como podes rejeitar-me? Isso não é próprio de um Messias Salvador! Não vieste Tu para as ovelhas perdidas de Israel, como está escrito e Tu dizes? Então, eu sou uma dessas ovelhas perdidas, logo, não podes rejeitar-me! Eu vou ser-Te fiel até à morte! Não tenhas receios a meu respeito! Não Te desiludirei!

Jesus –(Triste e pensativo) Sim!… Sim!…Até à morte!…Até à morte!…Depois!…

Judas – Em que estás a pensar, Mestre? Não entendo esses silêncios!

Jesus – Judas, insistes?

Judas –Ainda me perguntas? Como não insistir? É isso que eu quero, custe o que custar!

Jesus – (Suspirando, triste e abatido) Assim seja!… Entrego-te à  misericórdia de Deus! Que Ele  esteja contigo e te proteja!

Judas – Obrigado, Mestre. Nunca lamentarás a tua decisão!

Jesus – (Desanimado) Sim, Judas!…

 .

Considerações:

  1. Judas comete aqui vários erros em juízos, afirmações, atitudes, palavras…, mas o seu erro principal e que está na base de todos os outros é a sua falta de recta intenção, ao apresentar-se a Cristo para O seguir. Não se pode tentar servir a Deus a pensar em recompensa material, porque Deus não  dá valor a esse serviço, que visa apenas glória e prestígio pessoais.
  1. Judas não mostra ter a sabedoria própria dos humildes e dos santos, os quais penetram fundo nas mensagens da Bíblia e extraem dela o verdadeiro sumo do que lá está, contrariamente a outros que se ficam pela rama e acabam por denegrir ou deturpar a Verdade que está por baixo ou dentro da palavra escrita. Foi assim que ele acabou por ver no Messias o Rei mundano que Israel precisava para expulsar os Romanos.
  1. Judas, em toda a conversa com Cristo, sempre revela uma flagrante grosseria e falta de delicadeza para com o Mestre, tratando-O de igual para igual, discutindo de igual para igual e tornando-se até agressivo em sua argumentação.
  1. Judas revela uma boa dose de soberba, atrevendo-se até a censurar atitudes de Cristo e a dar-Lhe conselhos quanto ao que devia fazer ou devia evitar.
  1. Judas sempre se mostra um auto-convencido, um arrogante, um homem cheio de sonhos coloridos de grandeza e glória mundanas e nesses sonhos insiste e persiste, apesar de Cristo lhe mostrar que eram sonhos loucos de loucura humana.
  1. A sua soberba fá-lo insistir teimosamente na viabilidade do seu plano, apesar de o Mestre lhe demonstrar que seria a ruína do seu corpo e da sua alma.
  2. Apesar de ver em Cristo o Messias,  Judas menospreza os Seus conselhos, encarando-os como desculpas idiotas e preconceitos engendrados propositadamente para rejeitar a sua candidatura a integrar o colégio apostólico.
  1. Ao recusar os conselhos e a argumentação de Cristo, Judas tenta praticamente colocar-se numa posição superior ao próprio Senhor, invertendo as posições para fazer valer os seus argumentos.
  2.  Judas usa de chantagem ao forçar a sua admissão, acusando Cristo de ser o culpado, caso ele (Judas) venha a condenar-se, se Cristo o recusar, fingindo até ser uma das ovelhas perdidas de Israel que também precisa de ser salva, mas só será salvo se o Messias o admitir. Argumentos engendrados na mentira e na hipocrisia.
  1. Judas actua como um cego a quem se aponta que vai por um caminho que leva à morte, mas que, mesmo assim, confiando em si próprio e nos seus talentos, avança a qualquer custo para um suicídio certo.
  1. Judas mostra não confiar nos prognósticos de Cristo a seu respeito, o que equivale a considerá-Lo um adivinho, um charlatão, uma pessoa pouco ou nada credível em seus diagnósticos e prognósticos.  Mais tarde, já perto da Paixão de Cristo, Judas acusá-Lo-á de ter arruinado a sua vida, por não ter concretizado o seu (de Judas) plano, recusando assumir a mínima culpa dos seus actos.
  2. As lições de Judas são pela negativa, mas também podemos aprender muito com elas, pois, se com Cristo aprendemos o que e como se deve fazer, com Judas aprendemos o que não devemos fazer.
  3. Há quem pense (e até há livros e filmes sobre isso) que Judas foi mais uma vítima do que um criminoso, porque, segundo as teses apresentadas, já estava escrito e profetizado que ele seria o traidor do Messias. É verdade que o Antigo Testamento aponta um traidor, mas não revela o seu nome, logo, não teria necessariamente que ser Judas.  Consta: “Até aquele que comia comigo à mesa …me traiu” (Salmo 41,9).  No Novo Testamento, Cristo disse: “ Dos que me deste, nenhum se perdeu, a não ser o filho da perdição” (Jo 17,12); “A esse, que vai trair o Filho do Homem, melhor lhe fora não ter nascido”. (Mt 26,24)
  4. Há quem pergunte: Se Deus sabia quem era o homem que trairia Cristo, porque não o impediu ou porque permitiu que ele nascesse? Ou porque não o converteu? Judas tinha mesmo que trair Cristo, uma vez que estava escrito que ele o trairia?
  5. Convém ter ideias claras sobre questões confusas. A explicação para questões aparentemente inexplicáveis está na liberdade individual e na vontade soberana que Deus concedeu ao ser humano, tanto para o Bem como para o Mal. Deus não interfere nas leis da Natureza, nas leis da Física ou da Química, nas leis genéticas que presidem à individualidade de cada ser humano, embora possa fazê-lo, como no caso da gravidez da Virgem Maria. Deus não impede o nascimento de um futuro criminoso, mesmo de um homem que vai trair o Seu próprio Filho, como foi o caso de Judas. Cristo não precisava de um traidor para ser morto, porque mais cedo ou mais tarde o Sinédrio apanhá-Lo-ia quando Cristo decidisse que estava na hora. Ele próprio disporia as coisas e se entregaria, pois viera para isso.
  6. Convém não esquecer que para Deus tudo é presente e, como omnisciente que é, sabe tudo, conhece tudo aquilo que para nós está contido no passado, no presente e no futuro. Mas, apesar de saber o que cada ser humano vai ser durante a sua vida terrena, em consequência do bom uso ou do mau uso da sua liberdade e da sua vontade, Ele não pode ser culpado de não impedir o curso normal e o percurso natural que os seres humanos seguem em consequência das suas opções tomadas livremente.
  7. Em vista do que fica dito, qual o pecado de Judas, no final de contas? Foi ter arquitectado um plano e tentado sobrepo-lo ao plano de Deus, não olhando aos meios para conseguir desonestamente atingir os seus objectivos. Pelo meio ficaram pecados de soberba, orgulho, mentira, hipocrisia, ambição desonesta, roubo, luxúria, espiritismo, calúnia, cólera, inveja, agressividade verbal, desesperação de salvação e impenitência final (pecados contra o Espírito Santo), falta de respeito a Cristo, conspiração, traição, etc. Mas de Cristo ele não tinha razões válidas para se queixar, porque foi aconselhado e, no fim, também Cristo fez tudo para que ele se convertesse. Tudo em vão!
  8. Como consideração final, pergunta-se: Sabendo Cristo onde Judas iria parar, porque acabou Ele por ceder às suas pressões no sentido de ser admitido? A resposta tem a ver com  esta outra questão: Se Cristo tivesse rejeitado Judas e este, como deu a entender, tivesse entrado nos caminhos do mal, ou por vingança ou por outro motivo qualquer, e se condenasse, não poderia Cristo ser acusado de ter discriminado Judas e ser o causador da sua condenação? Tendo aceitado Judas, Cristo transferiu para ele (Judas) toda a responsabilidade e aguentou o ter de lidar com ele, que, a pouco e pouco, se ia transformando num demónio, até se transformar totalmente e se suicidar. Cristo não chorou somente por Lázaro e pelo futuro de Jerusalém, mas também chorou, e mais do que uma vez, por causa de Judas, ao sentir-se impotente para levá-lo a mudar e converter-se de vez. As lágrimas da Mãe de Jesus também não foram suficientes.

 .

Ezequiel Miguel

.

Artigos relacionados:

. Última tentativa de Cristo para salvar Judas.

. O contrato de Judas com o Sinédrio

. E Judas foi enforcar-se

. A Ceia da despedida

. Manhas e artimanhas de Judas Iscariotes.

Anúncios

Responses

  1. […] . O golpe de Judas […]

  2. […] . O golpe de Judas […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Categorias

%d bloggers like this: